Busca avançada
Ano de início
Entree

Macroevolução das tartarugas: contribuições de análises quantitativas, paleontologia virtual e biomecânicas

Processo: 19/10620-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Paleozoologia
Pesquisador responsável:Max Cardoso Langer
Beneficiário:Gabriel de Souza Ferreira
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Método dos elementos finitos   Tomografia computadorizada   Morfologia   Paleontologia de vertebrados

Resumo

Este projeto tem por objetivo caracterizar e explorar os padrões de macroevolução de Testudinata (tartarugas-marinhas, cágados e jabutis), um grupo de répteis com longa história evolutiva (cerca de 220 m.a.), rico registro fossilífero e uma (relativamente) grande diversidade taxonômica e ecomorfológica, tanto para as espécies viventes quanto para as extintas. Como objetivos gerais, o projeto pretende explorar a evolução morfológica do grupo, com foco nas novidades evolutivas de Pleurodira, e testar se os padrões de diversificação de espécies e disparidade morfológica suportam a caracterização da história evolutiva do grupo a partir do Jurássico como uma irradiação adaptativa. Para tanto, duas frentes complementares de pesquisa são propostas. A primeira busca utilizar técnicas avançadas de obtenção de imagem tomográficas (como laminografia aumentada e tomografia computadorizada por feixe de neutrons) para reconstruir modelos digitais do mais completo espécime de Platychelys oberndorferi (Jurássico da Alemanha), o único de um stem-Pleurodira com crânio e todas as vértebras cervicais preservadas, e de dois espécimes de Araripemys barretoi (Cretáceo do Brasil). Estes modelos serão empregados em análises morfológicas, filogenéticas e funcionais/biomecânicas (FEA) com o objetivo de avaliar a influência do aumento do conhecimento sobre os primeiros Pan-Pleurodira nas relações filogenéticas entre todos os grupos de tartarugas e também da relação evolutiva entre a flexibilidade do pescoço e a morfologia craniana no grupo. A segunda frente de pesquisa tem por objetivo identificar e caracterizar os padrões macroevolutivos de taxas de especiação/extinção (diversificação), utilizando uma abordagem filogenética que inclui dados do registro fossilífero (BAMM) e de disparidade morfológica ao longo do tempo, com uma abordagem de morfoespaço com caracteres discretos (PCoA). O uso de técnicas avançadas de análises quantitativas, biomecânicas e da paleontologia virtual para abordagem de questões macroevolutivas em tartarugas representa uma inovação conceitual e metodológica ainda incipiente no contexto da Paleontologia Brasileira.