Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da cinética do volume máximo de oxigênio por meio do teste de degrau de seis minutos em pacientes com insuficiência cardíaca

Processo: 19/12707-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Audrey Borghi e Silva
Beneficiário:Deise Lilian Costa Dias
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Insuficiência cardíaca   Consumo de oxigênio   Respiração (fisiologia)   Cinética

Resumo

Introdução: Com o aumento da expectativa de vida da população, juntamente com desenvolvimento da ciência e tecnologia, observa-se maior incidência de casos de Insuficiência Cardíaca (IC) tanto no Brasil como no mundo, que atualmente é um grave problema de saúde pública, gerando altos gastos com saúde, por se tratar de uma doença crônica. A IC é definida como uma síndrome clínica, que ocorre quando o coração não é mais capaz de suprir de forma adequada as demandas metabólicas teciduais, tendo como principais manifestações clínicas a dispneia e fadiga, impactando negativamente nas atividades cotidianas como caminhar e subir e descer escadas. Neste contexto, o teste do degrau de seis minutos (TD6) é um teste interessante para avaliar a capacidade funcional e tem demonstrado ser uma interessante ferramenta para estabelecer prognóstico em indivíduos com IC. A cinética do consumo de oxigênio (VO2) em sua fase "on" e "off" pode também ser um importante marcador prognóstico em pacientes com IC, contudo,tem sido pouco investigado a sua aplicabilidade em testes funcionais. Objetivo: Analisar a cinética "on" e "off" do VO2 no TD6 em pacientes com IC, bem como avaliar a influência dos ciclos de subidas e descidas (CSD) com os valores obtidos na cinética. Métodos: Serão incluídos indivíduos com diagnóstico de IC com disfunção sistólica classe I, II e III e IV pela NYHA, clinicamente estáveis, com confirmação diagnóstica por meio do ecocardiograma. Os pacientes passarão por uma avaliação clínica que incluirá avaliação do estado da doença e de suas comorbidades. Posteriormente, realizarão o TD6 onde serão coletados os dados de VO2 respiração por respiração, além dos sintomas(escala de Borg), da frequência cardíaca e da pressão arterial no repouso e no pico do teste. A análise da cinética do VO2 será obtida pelo software Cardiokin. Hipótese: Hipotetiza-se que a cinética "on" e "off' destes pacientes esteja lentificada, sobretudo naqueles mais graves, e, além disso, que os indivíduos que apresentam menor número de CSD no TD6 apresentem uma cinética do VO2 "on" e "off" mais lenta, assim como sejam mais sintomáticos.