Busca avançada
Ano de início
Entree

Para além da escolha entre doutrinação e neutralidade: fundamentos epistemológicos e éticos da escola democrática

Processo: 19/11802-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de novembro de 2019
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Educação - Fundamentos da Educação
Pesquisador responsável:Newton Duarte
Beneficiário:Newton Duarte
Anfitrião: Samir Gandesha
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Local de pesquisa : Simon Fraser University, Vancouver, Canadá  

Resumo

Essa estadia de pesquisa, junto ao Institute for the Humanities da Universidade Simon Fraser, tem por objetivo a produção de subsídios teóricos para os debates atuais sobre a escola democrática, buscando-se a superação da opção entre doutrinação e neutralidade. Para alcançar-se essa meta, serão desenvolvidas duas linhas de estudos. A primeira estará direcionada aos fundamentos epistemológicos dos conhecimentos escolares, com foco na análise das relações entre os conhecimentos cotidianos e aqueles produzidos nos campos das ciências humanas e das ciências da natureza. A segunda linha de estudos abordará os fundamentos éticos do ato educativo, com foco na questão da liberdade como um dos principais valores éticos a serem cultivados pela educação democrática. Numa sociedade que se pretende democrática e plural, a educação precisa promover o respeito à diversidade de valores, de posicionamentos políticos e de escolhas que cada pessoa faça em relação à sua vida. O respeito à pluralidade e à liberdade não demandaria para a escola, o princípio da neutralidade? Por exemplo, no caso da laicidade da educação pública, trata-se da adoção de um princípio de neutralidade da escola e dos professores em relação às crenças religiosas dos alunos e de suas famílias. No que se refere à política, trata-se igualmente do respeito à liberdade dos alunos e de suas famílias, de optarem por apoiar esta ou aquela tendência política, este ou aquele partido ou candidato. Os debates em torno a questões dessa natureza têm sido, nos últimos anos, bastante acalorados. A título de exemplo, cite-se a questão das relações entre sociedade e natureza. Trata-se de um tema a ser abordado em vários momentos da escolarização e por várias disciplinas constitutivas dos currículos escolares. Além de seu caráter multidisciplinar, esse tema pode ser abordado por vários ângulos e níveis de análise, desde as questões que envolvem o corpo humano, que se constitui numa síntese de processos naturais e sociais, até questões relacionadas às condições de vida em todo o planeta, passando-se pelas atitudes e decisões que indivíduos e grupos tomam no dia a dia, como é o caso da problemática do consumismo. Será desejável uma atitude de neutralidade em relação à prática da obsolescência programada, que tem impactos tão negativos em termos de utilização dos recursos naturais e de produção de poluentes? Esse exemplo das implicações contidas na temática das relações entre sociedade e natureza evidencia a necessidade da promoção, pela educação escolar, do desenvolvimento da consciência dos alunos em direção à superação dos limites do pragmatismo cotidiano. Não se entenda, porém, que a superação do pragmatismo seja a adoção de uma atitude puramente especulativa ou de negação da importância da prática. Trata-se da construção de formas de relacionamento com a prática que não se limitam ao utilitarismo cotidiano e não se circunscrevam aos horizontes de um presente reificado. A superação das formas reificadas de relacionamento com a realidade social não é um processo que se realize apenas no plano da subjetividade, é uma transformação das atividades e, mais amplamente, da vida das pessoas, o que requer mudanças nas formas de compreensão da vida e do mundo, bem como a tomada de posicionamento valorativo em relação às direções assumidas pelas práticas sociais. Conectam-se questões de natureza epistemológica e ética nesse debate sobre neutralidade e posicionamento ético-político em educação. A pesquisa aqui proposta é de natureza multidisciplinar no campo dos fundamentos da educação. O Institute for the Humanities da Simon Fraser University é um espaço acadêmico ideal para o desenvolvimento desse tipo de pesquisa, seja pelo caráter multidisciplinar desse instituto, seja pela natureza plural e socialmente engajada dos diversos tipos de pesquisa e atividades acadêmicas a ele conectados. Nosso anfitrião acadêmico será o professor Samir Gandesha, diretor do Instituto.