Busca avançada
Ano de início
Entree

Microbiomas e aspectos imunobiológicos nas infecções endodônticas

Processo: 19/14448-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Endodontia
Pesquisador responsável:Brenda Paula Figueiredo de Almeida Gomes
Beneficiário:Erica Mendes Lopes
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/23479-5 - Microbiomas e aspectos imunobiológicos nas infecções endodônticas, AP.TEM
Assunto(s):Endotoxinas   Fatores de virulência   Infecções bacterianas   Anti-infecciosos   Canal radicular

Resumo

Mais de 15 milhões de tratamento endodôntico (TE) são realizados anualmente nos EUA e também no Brasil devido às infecções endodônticas (IE). Estas podem causar sinais e sintomas que variam de leve desconforto a infecções fatais graves, como a celulite, angina ou mesmo a morte. Este estudo visa investigar os microbiomas presentes em diferentes tipos de IE e os níveis de LPS, LTA, MMP, substância P e citocinas inflamatórias nas diferentes situações clínicas, a fim de avaliar o efeito do TE na redução/ eliminação do conteúdo microbiano/endotóxico dos canais radiculares. Os dados obtidos serão correlacionados com os aspectos clínicos e radiográficos dos pacientes. Visa também investigar a suscetibilidade de bactérias específicas aos antibióticos mais utilizados na Endodontia, para se obter o padrão atual de suscetibilidade das mesmas. Para tal, métodos moleculares de ponta como o Next Generation Sequencing serão utilizados para avaliar a biodiversidade dos microbiomas; ELISA/citometria para quantificar os fatores de virulência e os aspectos imunobiológicos envolvidos; e E-test/ produção de beta-lactamase para obter um perfil da suscetibilidade de bactérias específicas frente a diferentes agentes antimicrobianos. Este trabalho é inovador, pois irá avaliar com metodologias de alta tecnologia, os microbiomas, fatores de virulência e aspectos imunobiológicos presentes nos diferentes tipos de IE correlacionando-os com os aspectos clínicos e radiográficos dos pacientes, e permitirá o monitoramento da suscetibilidade e bactérias aos diferentes antibióticos. Todos os resultados servirão como baseline para elaboração de TE mais eficazes. (AU)