Busca avançada
Ano de início
Entree

Pesquisa de morbilivírus em amostras de ar expirado de baleias-jubarte (Megaptera novaeangliae) por meio de análise biomolecular (RT- q PCR)

Processo: 19/11053-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Jose Luiz Catao Dias
Beneficiário:Diana Netto Hernandez Blazquez
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Doenças dos animais   Patógenos   Moléculas bioativas   Mamíferos marinhos   Baleias   Megaptera novaeangliae

Resumo

A baleia-jubarte (Megaptera novaeangliae) é uma espécie que sofreu grandes declínios populacionais no século XX devido à caça comercial. Após a proibição dessa atividade a espécie vem se recuperando, porém ainda enfrenta diversas outras ameaças, sendo evidenciadas pelo aumento no número de animais encalhados ao longo dos anos na costa brasileira. Uma possível ameaça para essa população é o Morbilivírus de cetáceos (família Paramyxoviridae), patógeno associado a altas taxas de mortalidade de diversas espécies de cetáceos e que afeta principalmente os sistemas respiratório, linfoide e nervoso. Recentemente, o vírus foi encontrado em cetáceos da costa brasileira e causou um surto epizoótico ocasionando a morte mais de 260 cetáceos no litoral do Rio de Janeiro. Sabe-se que as baleias-jubarte são suscetíveis ao morbilivírus, no entanto as investigações são realizadas geralmente por meio do estudo de animais que encalharam nas praias e vieram a óbito, o que limita a quantidade de indivíduos avaliados. Por outro lado, existem ferramentas não invasivas promissoras para o monitoramento da saúde de baleias em vida livre, destacando-se a pesquisa de patógenos respiratórios no ar expirado pelos animais. Nesse contexto, o presente estudo tem por objetivo investigar a presença de Morbilivírus dos Cetáceos no ar expirado de baleias-jubarte que se reproduzem no entorno do Arquipélago de Abrolhos (costa da Bahia e Espírito Santo). Um total de 69 amostras do ar expirado ("borrifo") de 51 grupos de baleias-jubarte, colhido durante as temporadas reprodutivas de 2011 e 2012, serão utilizadas para pesquisa de Morbilivírus por RT-PCR em tempo real, pelo método SYBR® GREEN. Espera-se que os resultados deste estudo forneçam de forma pioneira a prevalência relativa da morbilivirose em baleias-jubarte na região de Abrolhos durante esses dois anos. A partir desses resultados será possível contribuir para inferência da importância e o impacto desse agente na população de baleias-jubarte da costa brasileira e fornecer bases para futuros estudos de monitoramento da saúde e conservação destes grandes cetáceos.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GROCH, KATIA R.; BLAZQUEZ, DIANA N. H.; MARCONDES, MILTON C. C.; SANTOS, JOANA; COLOSIO, ADRIANA; DELGADO, JOSUE DIAZ; CATAO-DIAS, JOSE L. Cetacean morbillivirus in Humpback whales' exhaled breath. TRANSBOUNDARY AND EMERGING DISEASES, OCT 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.