Busca avançada
Ano de início
Entree

Capacidade discriminativa da elastografia hepática através da point-share-wave-ARFI na identificação de fibrose hepática e no seguimento longitudinal de pacientes obesos candidatos à cirurgia bariátrica

Processo: 19/07740-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Ana Claudia de Oliveira
Beneficiário:Laura Moretti Vidotto
Instituição-sede: Escola de Ciências da Saúde (ECS). Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Instituto Superior de Comunicação Publicitária (ISCP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Obesidade   Hepatopatia gordurosa não alcoólica   Cirurgia bariátrica   Técnicas de imagem por elasticidade

Resumo

A obesidade tem se mostrado um problema de saúde altamente prevalente no mundo todo, com estimativa de aumento progressivo e significante nos próximos anos. Indivíduos com sobrepeso e obesidade têm maior risco de desenvolver doenças crônicas não-transmissíveis igualmente prevalentes e de alto custo para o sistema de saúde, tais como o diabetes mellitus tipo 2 (DM2) e síndrome metabólica (SM). A doença hepática gordurosa não-alcóolica (DHGNA), reconhecido componente da SM, está fortemente associado ao excesso de peso, podendo acometer quase 100% dos indivíduos com obesidade extrema (IMC e40m2/Kg). Essa entidade apresenta um amplo espectro de doença, variando da esteatose pura (ENA) até a esteatohepatite (EHNA), essa última se caracterizando pela evidência histopatológica de inflamação e de injúria hepatocelular. O reconhecimento desse estágio evolutivo tem implicação prognóstica, visto que indivíduos portadores das formas mais avançadas da doença hepática são considerados de maior risco para o desenvolvimento das complicações. No entanto, não está claro e tão pouco bem definido como deva ser realizada a investigação sobre a existência e gravidade da doença hepática, particularmente na população de obesos candidatos à cirurgia bariátrica, e igualmente a importância dessa avaliação no contexto da redução de peso. A elastografia hepática tem despontado como uma ferramenta útil com esse fim, estando bem validada historicamente para a investigação da hepatite crônica C. O real papel desse recurso na DHGNA resta ser estabelecido, particularmente na situação da obesidade severa, com ou sem comorbidades. Dessa forma, o presente estudo tem como objetivo avaliar a acurácia do ARFI na identificação de fibrose hepática, em pacientes com obesidade candidatos à cirurgia bariátrica, tendo a biópsia hepática como referência, e seu papel no seguimento longitudinal ao final de 1 ano e meio.