Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação do papel da proteína SLIT2 em células tronco estromais e a sua influência no microambiente medular na leucemia mielóide aguda

Processo: 19/14084-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 30 de setembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Eduardo Magalhães Rego
Beneficiário:Luíse Araújo de Albuquerque Simões
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/08135-2 - CTC - Centro de Terapia Celular, AP.CEPID
Assunto(s):Leucemia mieloide aguda   Hematologia   Tratamento

Resumo

Dentre as neoplasias mieloides, a leucemia mieloide aguda (LMA) constitui um grupo heterogêneo de doenças clonais da medula óssea que afetam progenitores hematopoiéticos, tornando-os incapazes de se diferenciarem terminalmente e de responderem aos reguladores naturais de proliferação e morte celular. O microambiente medular atua como um importante fator no desenvolvimento, progressão, manutenção e evolução da LMA. As células tronco mesenquimais (CTM) fazem parte desse microambiente e possuem expressão elevada de genes de suporte às células tronco hematopoiéticas, sendo essa interação mediada principalmente por citocinas. A via Slit/Robo apresenta-se como um alvo terapêutico promissor para o tratamento de diferentes tipos de tumores, devido ao seu envolvimento em outras vias, como as de proliferação, mobilidade celular e angiogênese, além de sua expressão anormal estar relacionada ao desenvolvimento e progressão de diversas neoplasias. Dentre os componentes da via Slit/ Robo, a proteína SLIT2 apresenta importante papel em diferentes tipos de câncer, agindo como inibidora da invasão, migração, motilidade celular e da formação de colônias, sendo esta última característica promissora em neoplasias hematológicas. Nesse contexto, nosso grupo de pesquisa demonstrou reduzida expressão do gene SLIT2 em CTM de pacientes de LMA quando comparadas com as CTM isoladas de doadores hematologicamente saudáveis. Desta forma, o presente trabalho tem como objetivo determinar se a expressão do gene SLIT2 nas CTM pode influenciar o desenvolvimento e progressão de LMA em modelos in vitro e in vivo. Para isso, serão utilizadas células primárias (pacientes com LMA e doadores hematologicamente saudáveis) e linhagens celulares de CTM, bem como de diferentes subtipos de LMA. O gene SLIT2 será superexpresso em CTM e será analisada a influência da proteína SLIT2 secretada por estas células sobre as diferentes linhagens de LMA utilizando um sistema de co-cultivo, avaliando o efeito sobre a proliferação celular, produção de EROs, e capacidade de formação de colônias. A expressão gênica e proteica dos alvos envolvidos na regulação do ciclo celular e apoptose, bem como dos alvos downstream da via Slit/Robo serão avaliados por PCR quantitativo e Western Blotting, respectivamete, bem como a avaliação de sua influência em modelos in vivo de xenotransplante.