Busca avançada
Ano de início
Entree

Extrato glicólico de Rosa centifolia L.: atividade anti-inflamatória e antibiofilme sobre bactérias anaeróbias de interesse odontológico

Processo: 19/16543-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Luciane Dias de Oliveira
Beneficiário:Caroline Maria Ferreira
Instituição-sede: Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José dos Campos. São José dos Campos , SP, Brasil
Assunto(s):Produtos naturais   Extratos vegetais   Citotoxicidade   Anti-infecciosos   Anti-inflamatórios   Biofilmes   Bactérias anaeróbias

Resumo

Nos últimos anos, nota-se um aumento significativo de pesquisas na literatura mundial relacionadas a terapias alternativas com a utilização de produtos naturais. Essas novas substâncias de origem vegetal têm apresentado resultados promissores quanto à biocompatibilidade. Com isso, o presente estudo se propõe a avaliar in vitro: a) atividade antimicrobiana e antibiofilme do extrato glicólico de R. centifolia L. sobre culturas planctônicas e sobre biofilmes monomicrobianos de Fusobacterium nucleatum e Porphyromonas gingivalis em diferentes tempos de contato; b) citotoxicidade em macrófagos (RAW 264.7); e c) ação anti-inflamatória em cultura de RAW 264.7 estimulados por lipopolissacarídeo (LPS) de Escherichia coli. Para verificação da atividade antimicrobiana do extrato, será aplicado teste de microdiluição em caldo, segundo Clinical and Laboratory Standards Institute (CLSI), norma M11-A7, sobre os micro-organismos anaeróbios. A concentração mais efetiva será analisada sobre biofilmes por 5 min e 24 h. Posteriormente, a citotoxicidade do extrato para RAW 264.7 será avaliada pelo teste MTT. A ação anti-inflamatória do extrato será verificada por teste ELISA, com quantificação de citocinas pró-inflamatórias (IL-1² e TNF-±), após exposição das células (macrófagos RAW 264.7) às concentrações mais efetivas do extrato, na ausência e presença de LPS. Os resultados serão analisados estatisticamente por ANOVA e Tukey Test (p d 0,05).