Busca avançada
Ano de início
Entree

Dinâmica populacional de Bemisia tabaci na cultura do pepino e performance biológica das espécies crípticas Middle east asia minor 1 e Mediterranean em cultivares comerciais de pepino

Processo: 19/08377-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Renate Krause Sakate
Beneficiário:Yago Alexandre Barbi Pereira
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Dinâmica de populações   Cultivos agrícolas   Resistência genética vegetal   Resistência a inseticidas   Cucumis sativus   Bemisia tabaci   Pepino

Resumo

A recente introdução da espécie críptica Mediterranean de Bemisia tabaci, também conhecida como biótipo Q, tem causado grandes problemas para os cultivos de pimentão no Estado de São Paulo. Como forma alternativa ao plantio do pimentão, ou sucessivo à esta cultura, produtores passaram a cultivar pepino, porém o que se tem observado é uma excelente adaptação da espécie Mediterranean a esta cultura e o poderia ser uma solução, tem se tornado outro problema ao produtor de hortaliças. Nesse sentido esse trabalho tem como objetivo analisar a dinâmica populacional das espécies crípticas de B. tabaci em produções comerciais de pepino, bem como avaliar a preferência e a performance biológica das espécies MED e MEAM1 (também conhecida por biótipo B) em cultivares comerciais de pepino dos tipos comum, conserva e japonês. Serão coletadas amostras de moscas brancas em cultivos comerciais localizados nos municípios de Óleo, São Pedro do Turvo, Santo Antônio de Posse e Mogi Guaçu (São Paulo) e em Bandeirantes e Cambará (Paraná). As espécies crípticas serão identificadas a partir da análise do DNA do gene mitocondrial citocromo oxidase I (mtCOI). Para os testes de performance serão avaliadas a oviposição e o desenvolvimento da mosca-branca nas cultivares comerciais Verde Comprido, Aodai, Kawaii, Durango, Soldier, Wisconsin SMR-58 e Pioneiro. Os testes serão conduzidos com chance de escolha e sem chance de escolha. Também será avaliada a ocorrência de vírus associados à espécie Mediterranean. A partir desse trabalho será possível entender melhor a dinâmica populacional da mosca branca em pepino e obter informações importantes para o manejo, pois a utilização de cultivares resistentes ou tolerantes ao inseto pode ser uma ferramenta bastante útil, reduzindo gastos de aplicação de inseticidas e menor impacto ambiental.