Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel protetor da película adquirida do esmalte formada por diferentes tempos e do peptídeo Statherin contra à erosão dentária inicial: avaliação utilizando um novo refletômetro óptico de mão

Processo: 19/16815-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 30 de junho de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontologia Social e Preventiva
Pesquisador responsável:Marília Afonso Rabelo Buzalaf
Beneficiário:Talita Mendes Oliveira Ventura
Supervisor no Exterior: Adrian Lussi
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Bern, Suíça  
Vinculado à bolsa:17/05031-2 - Análise proteômica da película adquirida do esmalte e saliva em pacientes com câncer de cabeça e pescoço submetidos à radioterapia, BP.DR
Assunto(s):Bioquímica   Saliva

Resumo

A erosão dentária é uma lesão crônica, caracterizada pela perda de tecido duro devido à exposição a ácidos de origem não bacteriana. A película adquirida (PA) é um tegumento formado in vivo como resultado da adsorção seletiva de proteínas salivares na superfície do dente, que também contém glicoproteínas e lipídios. A presença de proteínas na PA forma uma interface protetora na superfície do dente, participando de todos os eventos interfaciais que ocorrem na cavidade bucal. É um filme orgânico, livre de bactérias, que cobre os tecidos dentais. Trabalhos têm se concentrado na caracterização e no impacto protetor da PA formada na superfície do esmalte. Estudos envolvendo a incorporação de proteínas na película adquirida têm sido propostos como uma nova estratégia para o controle da erosão dentária. No entanto, os maiores desafios na pesquisa de erosão dentária é encontrar um método de avaliação capaz de quantificar clinicamente a erosão dentária. Recentemente, um novo dispositivo portátil chamado Reflectometer Optipen foi desenvolvido pelo grupo do Prof. Lussi e mostrou bons resultados para avaliar a erosão inicial in vitro. Devido às suas características, este dispositivo tem um grande potencial para ser empregado clinicamente. Até o momento, o dispositivo não está disponível comercialmente e só é encontrado no laboratório do Prof. Lussi. Assim, é muito importante que pesquisadores de outros grupos recebam treinamento sobre o uso deste dispositivo para futura aplicação clínica. Com base nisso, o objetivo deste estudo é avaliar o efeito protetor da película adquirida do esmalte (PAE) em diferentes tempos de formação e do peptídeo Statherin adicionado à saliva, para proteger contra a erosão dentária inicial in vitro, avaliado usando o Reflectômetro Optipen. Cento e quarenta espécimes de esmalte humano (molares) serão preparados após a profilaxia, à intensidade de reflexão de superfície (IRS) inicial será medida usando o Reflectômetro Optipen. As amostras serão divididas em sete grupos (n = 20) de acordo com o tratamento: 1) 3 min de formação de PAE, 2) 15 min de formação de PAE; 3) 30 min de formação de PAE; 4) 60 min de formação de PAE; 5) 120 min de formação de PAE; 6) 240 min de formação de PAE; 7) 120 min de formação de PAE em saliva contendo 1,88 x 10-5 M do peptídeo Statherin (DpSpSEEKFLRRIGRFG). Eles serão incubados em pool de saliva estimulada para os diferentes tempos de formação, contendo ou não o peptídeo Statherin, a 37 ° C sob agitação. Para o processo erosivo, as amostras serão incubadas em ácido cítrico a 1% (pH 3,6) por 1 min a 37 °C. Cada espécime será tratado uma vez por dia durante 3 dias. Após o último desafio erosivo, os espécimes receberão profilaxia e a IRS final será medida e a perda relativa do IRS será calculada. Os dados serão analisados por testes estatísticos apropriados, após avaliação de normalidade e homogeneidade (p <0,05).