Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito de suplementação de zinco (orgânico e inorgânico) na expressão de genes relacionados ao sistema antioxidante de abelhas Apis mellifera L.

Processo: 19/01138-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 31 de outubro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Produção Animal
Pesquisador responsável:Ricardo de Oliveira Orsi
Beneficiário:Iloran do Rosário Corrêa Moreira
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Genética animal   Nutrição animal   Apicultura   Apis mellifica   Longevidade   Mortalidade animal   Zinco   Análise de variância

Resumo

As abelhas operárias de Apis mellifera apresentam polietismo, ou seja, a divisão de trabalho dentro da colônia, de acordo com sua idade fisiológica ou necessidades da colônia. Em suas atividades internas ao ninho, a taxa metabólica é reduzida e os danos promovidos pelo estresse oxidativo reduzido. Entretanto, na fase de campeiras elas necessitam forragear grandes áreas em busca de recursos alimentares, apresentam aumento significativo em seu metabolismo e consequentemente estão mais susceptíveis a produção de espécies reativas que podem promover severos danos celulares, levando ao envelhecimento precoce. Para minimizar este efeito, o organismo possui um sistema de enzimas antioxidantes que degradam os compostos que produzem danos, auxiliando no equilíbrio orgânico. Dentre os minerais, o zinco pode atuar na melhoria do sistema antioxidante, pois deficiência deste mineral podem afetar o funcionamento das enzimas do sistema antioxidante. Assim, a hipótese da presente proposta é verificar se o fornecimento de zinco (inorgânico e orgânico) pode auxiliar no bom funcionamento do sistema antioxidante de abelhas campeiras e no aumento de vitelogenina (visto que esta proteína é o principal carreador de zinco), por meio da análise de expressão de genes. Para isso, 15 colônias de abelhas A. mellifera serão submetidas aos seguintes tratamentos: Zn0 (Controle), ZnO50 (50 mg L-1 Zinco-metionína) e ZnI50 (50 mg L-1 Sulfato de Zinco monoidratado), fornecido em xarope de açúcar. Os níveis de zinco serão confirmados por Espectrometria de Absorção Atômica com chama (FAAS). Para a análise da ação zinco no sistema antioxidante as abelhas campeiras (sete dias de atividades de forrageamento) serão analisadas a expressão dos genes catalase e glutationa peroxidase, utilizando-se o gene rp49 como controle, além da expressão do gene vitelogenina. Serão avaliados também a mortalidade das abelhas e o desenvolvimento populacional. Os resultados da mortalidade e desenvolvimento populacional serão por meio da Análise de Variância (ANOVA) seguida do teste de Tukey para comparação de médias. Para os resultados de expressão gênica será utilizado o teste de Dunnet. Em todos os testes, os resultados serão considerados estatisticamente diferentes quando P<0,05. Espera-se com este projeto obter informações importantes sobre a nutrição e os efeitos que o zinco pode trazer no equilíbrio do sistema antioxidante das abelhas.