Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção de enzimas ligninolíticas por basidiomicetos isolados de solos da Antártica

Processo: 19/15776-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Lara Durães Sette
Beneficiário:Vanessa Lourenço de Souza
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Biotecnologia   Fungos filamentosos   Basidiomycota   Extremófilos   Baixa temperatura   Antártica

Resumo

A Antártica é considerada como o continente dos extremos, uma vez que apresenta as mais baixas temperaturas já registradas, além de possuir alta incidência de luz ultravioleta e baixa disponibilidade de água. Os microrganismos se adaptaram e são encontrados vivendo neste ambiente remoto. Para tanto, utilizam técnicas de sobrevivência, incluindo o aumento do fluxo metabólico e a produção de enzimas adaptadas ao frio. As principais enzimas produzidas por esses microrganismos são hidrolases e oxidoredutases. Dentre essas enzimas destacamos as do complexo ligninolítico (lacase, manganês peroxidase e lignina peroxidase), as quais podem ser aplicadas no setor ambiental e industrial. Para este estudo, quatro fungos basidiomicetos, isolados de solos de recuo da Geleira Collins (Península Fields, Ilha Rei George), serão avaliados quanto à produção das enzimas ligninolíticas acima citadas. Além disso, os fungos serão classificados em psicrofílicos e pscicrotolerantes, de acordo com a temperatura ótima de crescimento. A melhor condição para produção das enzimas será testada sob várias temperaturas. Em adição, será investigado se as enzimas ligninolíticas obtidas apresentam atividade ótima sob temperaturas baixas e moderadas. Considerando que os isolados a serem testados são basidiomicetos da Antártica, esperamos com a condução do presente projeto permita a obtenção de novos recursos genéticos produtores de enzimas ligninolíticas. Os resultados deste projeto poderão fundamentar novos estudos de exploração biotecnológica de enzimas adaptadas ao frio.