Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização e aplicação de sinais de luminescência do quartzo estimulado por luz violeta para datação de sedimentos fluviais na Amazônia

Processo: 19/04059-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Pesquisador responsável:André Oliveira Sawakuchi
Beneficiário:Pontien Niyonzima
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IGC). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Geocronologia   Sedimentologia   Luminescência   Quartzo   Amazônia

Resumo

A evolução neogênica e quaternária do sistema fluvial amazônico tem sido associada às mudanças no clima, nível do mar e tectônicas, as quais operam em diferentes escalas de tempo, de alguns milhares a milhões de anos. Os estudos já realizados sobre o registro fluvial da Amazônia (sedimentos siliciclásticos) dispõem de idades absolutas restritas ao Holoceno e ao Pleistoceno tardio, dificultando a correlação com variações climáticas, de nível do mar ou tectônicas de longo prazo (centenas de milhares a milhões de anos). Os protocolos de datação por luminescência consolidados na literatura utilizam sinais (OSL, ITL e TT-OSL do quartzo e pIRIR do feldspato potássico) cujos níveis de saturação ou instabilidade atérmica impedem a obtenção de idades além do Pleistoceno médio (~ 500 ka). Assim, novos métodos de datação por luminescência devem ser desenvolvidos e testados para estabelecer cronologia absoluta das unidades sedimentares na Amazônia. Isso é fundamental para avançar no entendimento sobre a história da paisagem da Amazônia e avaliar seu papel para a diversificação da biota durante o Neógeno (Mioceno e Plioceno) e Quaternário. Neste contexto, o potencial dosimétrico da luminescência do quartzo estimulado por violeta (Violet Stimulated Luminescence, VSL) tem sido explorado como meio de ampliar o alcance temporal da datação para todo o período Quaternário. Apesar de estudos iniciais demonstrarem resultados encorajadores no uso de sinais VSL para datação, ainda é necessário que os protocolos propostos sejam aperfeiçoados e testados em sedimentos da Amazônia, já que as propriedades VSL podem variar entre grãos de quartzo provenientes de diferentes contextos geológicos. Este projeto de pesquisa de doutorado visa desenvolver métodos de datação baseados em sinais VSL do quartzo para a determinação da idade absoluta de unidades sedimentares relevantes para evolução da Amazônia durante o Neógeno tardio e Quaternário. Esta contribuição envolverá o estudo de sinais VSL em quartzo representativo de sedimentos sul-americanos e o desenvolvimento e teste de protocolos de datação VSL além do limite da datação OSL em quartzo (> 150-250 ka) e pós-infravermelho infravermelho (pIRIR) em feldspato potássico (>500 ka). As unidades sedimentares alvo para a datação VSL serão as formações Içá, Solimões e Novo Remanso, bem como suas unidades correlatas na Amazônia oriental. As idades dessas unidades sedimentares são fundamentais para entender as mudanças na paisagem, incluindo as mudanças associadas à origem do curso transcontinental do rio Amazonas e estabelecimento dos seus afluentes modernos. (AU)