Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso de anti-inflamatório associado ao probiótico: uma provável alternativa ao emprego de antimicrobianos como melhoradores de desempenho: estudo em frangos de corte

Processo: 19/17854-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Silvana Lima Gorniak
Beneficiário:Viviane Mantoan Alcântara Magalhães
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/19474-6 - Uso de anti-inflamatório associado ao probiótico: uma provável alternativa ao emprego de antimicrobianos como melhoradores de desempenho: estudo em frangos de corte, AP.R
Assunto(s):Farmacologia   Toxicologia   Probióticos   Anti-infecciosos   Anti-inflamatórios   Frangos de corte

Resumo

A resistência aos antimicrobianos é provavelmente hoje o maior problema a ser enfrentado pelas autoridades sanitárias em todo o mundo. Estudos vêm mostrando que muitas espécies de bactérias resistentes que estão presentes no meio agropecuário podem afetar a saúde humana por complexas vias de exposição ambiental. Assim, tem sido verificada a relação entre o uso de antimicrobiano em animais de produção, particularmente quando são empregados subterapeuticamente como aditivo zootécnico melhorador de desempenho (AAZMD) e o aumento da prevalência/incidência de microrganismos resistentes. Verifica-se, portanto, uma clara tendência de os países abolirem o uso dos AAZMD. Se por um lado, a proibição destes aditivos será benéfica para a saúde e bem-estar animal, e as preocupações com a saúde humana compensarem esses ganhos de crescimento, por outro, deve-se considerar que o banimento dos antimicrobianos na conjuntura atual, poderá ter implicações muito sérias na economia, particularmente em países como o Brasil. Nesse sentido, vários pesquisadores afirmam que nenhuma das alternativas empregadas até o momento tem sido tão eficiente quanto os AAZMD. Considerando-se que é a diminuição do edema inflamatório intestinal uma das principais teorias pelas quais se explica o efeito dos antimicrobianos promotores de crescimento, levantou-se a hipótese de que o uso de anti-inflamatórios não esteroidais poderia promover redução significante do processo inflamatório, diminuindo o edema, melhorando a morfologia das vilosidades intestinais e, assim, aumentar significantemente a absorção de nutrientes, promovendo o efeito melhorador de desempenho, o que, teoricamente, poderia ser uma alternativa ao uso dos antimicrobianos. Assim, é proposta do presente projeto, avaliar a viabilidade do uso dessas substâncias, bem como a sua associação com a principal alternativa aos AAZMD empregada atualmente, os probióticos.