Busca avançada
Ano de início
Entree

Interações envolvendo Begomovírus, solanáceas e diferentes espécies crípticas de Bemisia tabaci

Processo: 19/18639-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 30 de setembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Jorge Alberto Marques Rezende
Beneficiário:Angélica Maria Nogueira
Instituição-sede: Administração Geral. Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/18274-3 - Begomovirus e crinivirus em solanáceas: epidemiologia molecular regional e alternativas sustentáveis de manejo integrado, AP.TEM
Assunto(s):Vírus de plantas   Begomovirus   Solanaceae   Bemisia tabaci   Tomateiro   Células clonais

Resumo

A família Solanaceae é uma das mais importantes na Agricultura e engloba espécies cultivadas como o tomateiro, pimentão, berinjela e pimentas, todas estas acometidas pela espécie de Begomovírus Tomato severe rugose virus (ToSRV). O ToSRV é transmitido por Bemisia tabaci que é constituída por um complexo de espécies crípticas das quais Middle East-Asia Minor 1, MEAM1 (também conhecida por biótipo B) e Mediterranean, MED, também chamada de biótipo Q, são altamente invasivas. A espécie MED foi relatada no Estado de São Paulo em 2017. Recentemente, estufas de pimentão com alta infestação desta espécie foram observadas neste estado, situação bastante preocupante. Resultados prévios de nosso grupo demonstraram que MED é excelente vetora do ToSRV, de modo que pretende-se compreender o papel desta espécie na epidemiologia do ToSRV em solanáceas. Os principais objetivos do projeto incluem a produção de clones infecciosos de ToSRV (isolado proveniente de tomateiro) e avaliação da eficiência de transmissão pelas espécies MEAM1 e MED de Bemisia tabaci. Além disto, estufas de pimentão serão monitoradas para verificar a ocorrência de espécies de B. tabaci e de vírus associados, a fim de verificar se epidemiologia dos vírus transmitidos por mosca-branca está sendo alterada em solanáceas. (AU)