Busca avançada
Ano de início
Entree

Diversidade molecular e filogenia de algas verdes (Chlorophyta) formadoras de turf em ilhas oceânicas brasileiras

Processo: 19/11558-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 31 de outubro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Taxonomia Vegetal
Pesquisador responsável:Mariana Cabral de Oliveira
Beneficiário:Michelle Cristine dos Santos Silva
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Código de barras de DNA taxonômico   Marcador molecular   Algas marinhas   Algologia   Filogenia

Resumo

Ilhas oceânicas podem "fertilizar" regiões adjacentes, tornando-se oásis de biodiversidade em meio ao ambiente oligotrófico oceânico. O Brasil possui 4 ambientes insulares oceânicos, o Atol das Rocas e 3 arquipélagos, Fernando de Noronha, São Pedro e São Paulo, e Trindade e Martin Vaz. Com a liberação de nutrientes, elementos-traço e a disponibilidade de substrato gerado pelas ilhas, produtores primários como as macroalgas são capazes de se desenvolver, constituindo assim parte da base da cadeia trófica. As macroalgas são organismos chave no desenvolvimento do ecossistema marinho em ilhas oceânicas, entretanto, existem poucos estudos sobre a diversidade de espécies para estes ambientes, provavelmente em razão da dificuldade logística de coletas regulares e pela dificuldade na identificação das espécies, em especial de espécies crípticas em meio aos turfs. Neste projeto, amostras de Chlorophyta, serão coletadas em 3 expedições com distinção sazonal na ilha da Trindade e no Arquipélago de São Pedro e São Paulo. Usaremos o marcador molecular plastidial tufA, para uma varredura inicial da riqueza de macroalgas verdes em ilhas oceânicas brasileiras e os marcadores rbcL e SSU serão usados para análises filogenéticas. As espécies detectadas pelos marcadores moleculares serão analisadas quanto a sua morfologia e distribuição geográfica. Como resultados principais espera-se gerar uma lista mais precisa da diversidade de espécies de Chlorophyta em Ilhas Oceânicas da costa Brasileira, associando a essas espécies DNA barcodes; identificar e descrever possíveis espécies crípticas e reavaliar o grau de endemismo.