Busca avançada
Ano de início
Entree

Diversidade funcional de Archaea em lagoas salino-alcalinas do Pantanal Brasileiro e o seu papel na ciclagem de nutrientes

Processo: 19/09243-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Tsai Siu Mui
Beneficiário:Yara Barros Feitosa
Instituição-sede: Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/14227-5 - Mudanças climáticas e impactos ambientais em áreas alagadas (wetlands) do Pantanal (Brasil): quantificação, fatores de controle e previsão em longo prazo, AP.PFPMCG.TEM
Assunto(s):Ecologia microbiana   Archaea   Lagoas   Ciclagem de nutrientes   Carbono   Nitrogênio   Metagenômica   Ciclos biogeoquímicos   Pantanal

Resumo

O Pantanal é a maior área úmida tropical do mundo e atua como um importante reservatório de biodiversidade, além de desempenhar funções essenciais na retenção de água e nas dinâmicas dos ciclos biogeoquímicos. As lagoas salino-alcalinas dessa região são ecossistemas raros, considerados ambientes extremos devido às condições abióticas severas. Informações relacionadas a estrutura e funcionamento das comunidades microbianas nessas lagoas ainda são incipientes. Vários grupos do domínio Archaea são conhecidos pela capacidade de colonizar ambientes extremos e por realizar funções cruciais nesses ecossistemas, porém ainda não existem estudos detalhados sobre a diversidade e potencial funcional desses microrganismos nas lagoas do Pantanal. Este trabalho se propõe a investigar as comunidades de arquéias nesses ambientes e o seu papel na ciclagem de nutrientes, em especial do carbono (C) e nitrogênio (N). Para isso, buscaremos entender as interações ecológicas entre os microrganismos relacionados a esses ciclos, a partir de abordagens taxonômicas e funcionais. Para compreender a dinâmica dessas comunidades, serão avaliadas amostras planctônicas e de sedimento em épocas seca e chuvosa através de uma análise metagenômica comparativa. As comunidades de arquéias em solos adjacentes às lagoas também serão exploradas, com o intuito de avaliar possíveis influências sobre a composição microbiana das lagoas. Por fim, será utilizada a técnica de enriquecimento na tentativa de isolar culturas de arquéias oxidadoras de amônia e recuperar genomas microbianos parciais e/ou completos, possibilitando a descoberta de novos táxons envolvidos no ciclo do N. Os resultados obtidos neste e em outros trabalhos relacionados nos levarão a um entendimento geral desses ecossistemas pouco explorados, fornecendo informações que poderão auxiliar na elaboração de políticas públicas para o gerenciamento sustentável do Pantanal. (AU)