Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da produção de nanocompósitos de PHBV/nanocristais de celulose em misturador termocinético

Processo: 19/15888-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Ana Paula Lemes
Beneficiário:Vitor Siqueira de Faria
Instituição-sede: Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São José dos Campos. São José dos Campos , SP, Brasil
Assunto(s):Polímeros (materiais)   Nanocompósitos   Nanocristais de celulose   Materiais compósitos   Microscopia eletrônica de varredura   Microtomografia   Ensaios mecânicos   Varredura diferencial de calorimetria   Proliferação

Resumo

Os polímeros biodegradáveis são objetos de estudo muito recorrentes nos dias de hoje, devido à preocupação com o meio ambiente. Dentre estes, se destaca o poli(3-hidroxibutirato-co-3-hidroxivalerato), ou PHBV, pertencente à família dos PHA. O PHBV tem um grande potencial de aplicação em indústrias de embalagem e demais setores industriais e também na área médica, na produção de scaffolds para regeneração tecidual. Contudo, o PHBV ainda apresenta algumas limitações para este uso, como baixa resistência mecânica e alto custo. Por isso, é interessante a produção de nanocompósitos de PHBV, uma vez que a introdução de nanocargas pode promover um aumento em sua resistência mecânica e/ou ocasionar mudanças em propriedades que aumentem seu potencial de aplicação em determinada área. Os nanocristais de celulose (NCC) podem ser empregados como reforço para o PHBV, visto que possuem as propriedades mecânicas desejadas e cumprem os requisitos de serem, assim como o PHBV, obtidos de fontes renováveis, além de serem biocompatíveis e biodegradáveis. No entanto, devido à natureza hidrofílica dos NCC, é desejável a utilização de um agente compatibilizante para obter uma boa adesão entre nanocarga/matriz. Deste modo, nanocompósitos de PHBV-g-AM e PHBV reforçados com NCC serão produzidos, com concentrações de NCC de 1; 3 e 5% (m/m) em um misturador termocinético. Os corpos de prova serão obtidos por prensagem com aquecimento e caracterizados por microscopia eletrônica de varredura (MEV), ensaio de microtomografia, ensaio mecânico de tração, calorimetria exploratória diferencial (DSC), e proliferação celular in-vitro.