Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da suplementação de melatonina e cafeína na qualidade de espermatozoides pós-descongelamento criopreservados pelos métodos de congelamento lento e vitrificação

Processo: 19/13753-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Jorge Hallak
Beneficiário:Mayara Rodrigues
Instituição-sede: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Andrologia   Criopreservação   Preservação da fertilidade   Espermatozoides   Melatonina   Cafeína   Vitrificação   Análise de variância

Resumo

A criopreservação de sêmen humano tem sido amplamente utilizada na preservação da fertilidade. Para isso, diversas metodologias são utilizadas, entre elas: o congelamento lento, método no qual a amostra seminal é congelada em etapas para minimizar a formação de cristais de gelo intracelular; e a vitrificação de espermatozoides, no qual há uma diminuição ultrarrápida da temperatura da amostra sem cristalização de gelo intracelular. A fim de reduzir os danos causados pelos processos de congelamento, diversos estudos utilizam substâncias antioxidantes e estimulantes, porém, a eficácia destas substâncias e seu papel no controle funcional dos espermatozoides não está bem estabelecida na literatura. Em estudo prévio realizado pelo grupo, observou-se que a adição de melatonina, um poderoso antioxidante, e a cafeína, uma substância estimulante, apresentou benefícios na qualidade espermática quando adicionados a amostras seminais normozoospérmicas criopreservadas por congelamento lento quando comparadas a amostras sem suplementação. Desta forma, o objetivo desse estudo é analisar o efeito da suplementação de melatonina e cafeína na qualidade de espermatozoides pós-descongelamento criopreservados pelos métodos de congelamento lento e vitrificação. Para isso, serão selecionadas amostras de sêmen em pacientes normozoospérmicas de acordo com o manual da Organização Mundial da Saúde (OMS) de 30 pacientes voluntários, de 19 a 45 anos, da rotina do Laboratório Androscience e Departamento de Urologia do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, mediante assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, entre agosto de 2018 e julho de 2020. As amostras serão criopreservadas pelo método de congelamento lento ou vitrificação sem suplemento ou com 2mM de melatonina. Após o descongelamento, as amostras serão analisadas ou suplementadas com 2 mM de cafeína. Ao final dos experimentos, serão formados 4 grupos: Amostras pós-descongelamento congelamento lento e vitrificação sem suplementação e amostras pós-descongelamento congelamento lento e vitrificação com suplementação de cafeína e melatonina. Parâmetros seminais de contagem e motilidade, analisados pelos critérios da OMS, atividade mitocondrial, pela coloração por diaminobenzidina, avaliação da taxa de fragmentação de DNA, pelo método SCSA® e a dosagem dos níveis de radicais livres de oxigênio (ROS), pelo método de luminescência, serão realizados em todos os grupos. Os dados serão analisados pelo teste T de Student pareado e pela análise de variâncias de uma via com medidas repetidas, seguida pelo pós-teste de Holm-Sidak, e adotado um alfa de 5%.