Busca avançada
Ano de início
Entree

Comparação anatômica e bioquímica entre espécies de framboeseiras (Rubus spp.) com diferentes níveis de resistência à ferrugem (Pucciniastrum americanum)

Processo: 18/17428-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Botânica Aplicada
Pesquisador responsável:Beatriz Appezzato da Glória
Beneficiário:Márcia Gonçalves Dias
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Framboesa   Anatomia vegetal   Mecanismos de defesa   Histopatologia

Resumo

A produção de framboesas no Brasil vem crescendo devido à demanda por frutos com potencial nutracêutico e pela alta rentabilidade ao produtor, sendo uma alternativa para pequenas propriedades familiares. A framboeseira é um arbusto do gênero Rubus L. (Rosaceae) e possui diversas espécies e cultivares com características de importância comercial e agronômica. Em climas tropicais, a produção de framboesa pode ser impactada por doenças como a ferrugem que é causada pelo fungo Pucciniastrum americanum. Essa doença provoca desfolha precoce do arbusto, o que leva a uma redução na produção, podendo impactar também os frutos, tornando-os impróprios para o consumo. No entanto, entre as framboeseiras são encontradas espécies com diferentes níveis de resistência à ferrugem. A utilização de espécies imunes ou com alta resistência à ferrugem em programas de melhoramento genético de espécies comerciais pode ser uma alternativa para obtenção de cultivares resistentes à doença e com qualidade agronômica. A resistência à doença pode estar relacionada a mecanismos de defesa estruturais e/ou bioquímicos, pré e/ou pós formados. Portanto, o objetivo deste projeto será realizar estudos histopatológicos e bioquímicos em espécies de framboeseiras com diferentes níveis de resistência a Pucciniastrum americanum para determinar qual(is) mecanismos de defesa estão envolvidos no controle da ferrugem.