Busca avançada
Ano de início
Entree

Pesquisa e desenvolvimento de software embarcado para a missão PLATO

Processo: 19/14205-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 30 de setembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Astronomia - Instrumentação Astronômica
Pesquisador responsável:Eduardo Janot Pacheco
Beneficiário:Alexsander Deucher
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/13750-6 - O Brasil no espaço: Astrofísica e Engenharia, AP.TEM
Assunto(s):Astrofísica   Engenharia   Softwares   Desenvolvimento de software

Resumo

O PLAnetary Transits and Oscillations of stars (PLATO) é uma missão espacial da Agência Espacial Europeia (ESA), dedicada à detecção e caracterização de exoplanetas e suas estrelas hospedeiras. O PLATO será lançado em 2026. A filial brasileira do projeto PLATO tem apoio da FAPESP, através do temático "Brazil in Space: Astrophysics and Engineering". Entre seus projetos há o SIMUCAM, um simulador de câmeras do sistema de captura de imagens do satélite PLATO, que envolve o desenvolvimento de hardware e software. O SIMUCAM deve atender às rígidas especificações técnicas do satélite, que está sendo construído por um consórcio de países majoritariamente europeus. A Agência Espacial Francesa (CNES) atribuiu ao IMT (Brasil) a responsabilidade do desenvolvimento do simulador de câmeras. Este simulador é único e de alta complexidade, não havendo solução comercial integrada em um único equipamento disponível, mesmo no mercado internacional, e a formação de um simulador de câmeras pela associação de equipamentos comerciais é de elevado custo e de menor desempenho, sendo o maior diferencial que o simulador de câmeras desenvolvido pelo IMT permitirá gerar um grande fluxo de dados utilizados para validar todos os algoritmos científicos implementados nos computadores de bordo (N-DPU) do satélite. Este aspecto é essencial para o sucesso da missão, atendendo assim completamente às expectativas do consórcio. O bolsista estará envolvido com o desenvolvimento do SIMUCAM.