Busca avançada
Ano de início
Entree

Vulnerabilidades de jovens às IST/HIV e à violência entre parceiros: avaliação de intervenções psicossociais baseadas nos direitos humanos

Processo: 19/19017-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 30 de setembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Social
Pesquisador responsável:Cristiane Gonçalves da Silva
Beneficiário:Bruna Carolina Silva dos Reis
Instituição-sede: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/25950-2 - Vulnerabilidades de jovens as IST/HIV e à violência entre parceiros: avaliação de intervenções psicossociais baseadas nos direitos humanos, AP.TEM
Assunto(s):Direitos humanos   Estudos de intervenção   Saúde sexual e reprodutiva   Sexualidade   Ação preventiva   Prevenção de doenças transmissíveis   Jovens   Adolescentes

Resumo

Os adolescentes são afetados desproporcionalmente pelas epidemias de IST, HIV e sífilis no Brasil. Fundamental para o controle do crescimento da epidemia brasileira de AIDS desde os anos 1990, a educação sexual nas escolas está interpelada por grupos conservadores. Garantir e sustentar a saúde sexual e reprodutiva dos jovens nessa tradição, baseada nos direitos humanos, exige urgente inovação. O desafio desse projeto é testar metodologias que garantam a eficácia e sustentabilidade de programas sobre sexualidade e prevenção junto aos jovens e a avaliação dos processos por meio dos quais isso ocorre. Esse projeto se articula em torno da implementação de um programa de educação sobre sexualidade baseada em uma perspectiva multicultural direitos humanos, apoiada na articulação de intervenções em escolas de ensino médio e em unidades básicas de saúde que são referência no território escolar. O estudo randomizado em dois braços e uma avaliação do processo (que combinará diferentes procedimentos e etnografia) avaliarão a intervenção-proposta. Aproximadamente 3500 alunos do primeiro ano do ensino médio (de 14-16 anos em média), serão seguidos por quase dois anos. Envolveremos, desde o processo de consentimento informado, além dos estudantes de ensino médio das escolas públicas sorteadas (10 escolas para o grupo controle e 10 escolas para o grupo de intervenção), seus professores e pais, além de profissionais de 10 unidades básicas de saúde em seu território. Este estudo de intervenção com métodos mistos pretende mostrar que a metodologia proposta além de aumentar o conhecimento sobre prevenção das IST e da gravidez e dos direitos humanos, aumenta a adesão ao sexo seguro e diminui a violência sexual e de gênero no grupo de alunos participantes. A participação permanente dos profissionais da escola, da comunidade do entorno e dos profissionais da saúde é um componente crucial da proposta de prevenção combinada, facilitando o acesso dos estudantes do ensino médio aos preservativos e outras ferramentas de contracepção (incluindo a contracepção de emergência, profilaxia pós-exposição (PEP) e testes e tratamento para IST. Uma equipe de pesquisa interdisciplinar multi-institucional e altamente experiente - vinculada ao NEPAIDS-USP e seus colaboradores internacionais - desenvolverá o estudo na região de Sorocaba/Votorantim, baixada Santista e bairros das regiões Sul e Centro Sul na cidade de São Paulo, no Estado de São Paulo.