Busca avançada
Ano de início
Entree

Tendência do consumo de alimentos ultraprocessados na população australiana (1995-2012)

Processo: 19/18854-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Pesquisador responsável:Patricia Constante Jaime
Beneficiário:Fernanda Galvão de Oliveira Santin
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/14900-9 - Consumo de alimentos ultraprocessados, perfil nutricional da dieta e obesidade em sete países, AP.TEM
Assunto(s):Epidemiologia   Dieta   Austrália   Saúde pública

Resumo

Este projeto é parte do projeto temático "Consumo de alimentos ultraprocessados, perfil nutricional da dieta e obesidade em sete países." Tem como objetivo analisar a tendência temporal do consumo de alimentos ultraprocessados pela população australiana entre 1995 e 2012. Os dados utilizados são provenientes de duas pesquisas australianas National Nutrition Survey (NNS) realizada entre fevereiro de 1995 a março de 1996 e National Nutrition and Physical Activity Survey (NNPAS), conduzida entre maio de 2011 e junho de 2012. Essas pesquisas transversais representativas em nível nacional adotaram plano de amostragem probabilística por conglomerados, com estratificação e múltiplos estágios de sorteio de setores censitários, blocos, domicílios e pessoas dentro dos domicílios. A amostra da NNS foi composta por 13.858 indivíduos com 2 anos ou mais de idade e a NNPAS incluiu 12.153 indivíduos com 2 anos ou mais de idade. O consumo alimentar foi avaliado com a aplicação de recordatórios alimentares de 24 horas a todos os indivíduos da amostra, sendo que o primeiro foi aplicado por entrevista face a face, enquanto o segundo recordatório foi aplicado via telefone (NNS aplicado em 10% da amostra e NNPAS aplicado em 63% dos participantes). Todos os itens de consumo alimentar serão classificados em quatro grupos conforme a classificação NOVA que considera a extensão e o propósito do processamento industrial. O consumo de alimentos ultraprocessados, foco principal deste estudo, e seus respectivos subgrupos, será caracterizado com base na participação média desses alimentos no total de energia da dieta do conjunto da população australiana e em estratos sociodemográficos definidos por sexo, faixa etária, nível de escolaridade, etnia, renda familiar, região e área residencial. Variações temporais no consumo de alimentos ultraprocessados serão avaliadas por testes de diferença de médias para amostras independentes (teste t) e modelos de regressão linear.