Busca avançada
Ano de início
Entree

As identidades rurais da Macrometrópole Paulista

Processo: 19/16928-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Vigência (Início): 15 de novembro de 2019
Vigência (Término): 14 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Planejamento Urbano e Regional - Métodos e Técnicas do Planejamento Urbano e Regional
Pesquisador responsável:Pedro Roberto Jacobi
Beneficiário:Bruna de Souza Fernandes
Supervisor no Exterior: Sylvia Herrmann
Instituição-sede: Instituto de Energia e Ambiente (IEE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Leibniz Universität Hannover, Alemanha  
Vinculado à bolsa:18/05968-7 - Levantamento de dados da macrometrópole paulista, BP.IC

Resumo

A Macrometrópole Paulista (MMP) é socialmente construída a partir de relações predominantemente urbanas, mas aproximadamente 72% do seu território é classificado como rural. Embora haja muita coerência na compreensão do fato macrometropolitano como um processo de complexidade urbana, olhar apenas para as relações funcionais urbanas, generalizando e assumindo o território como homogêneo, pode ser impreciso. Existe uma demanda no planejamento territorial para pesquisas que compreendam e considerem as diferentes naturezas do território; se apenas as relações urbanas forem consideradas, há uma grande parte desse espaço que pode estar sendo negligenciada. Questões como segurança alimentar, segurança hídrica, adaptação às mudanças climáticas e, mais amplamente, a necessidade de alcançar padrões sustentáveis de produção espacial, não se limitam à compreensão das relações urbanas. Este projeto utilizará uma metodologia desenvolvida no Projeto RUFUS que foca no desenvolvimento de uma nova tipologia para mostrar a diversidade das regiões rurais, aplicá-la à MMP poderá ajudar no direcionamento de projetos na escala macro e metropolitana. Outro objetivo é analisar as tipologias criadas e montar um questionário de entrevistas para ajudar a desvendar a identidade regional dessas áreas rurais, a fim de criar um resultado em que tanto dados quantitativos, de órgãos oficiais, quanto dados qualitativos, colhidos em entrevista, sejam considerados. Espera-se também que os relatórios que acompanham o BEPE e a Iniciação Científica no Brasil sejam utilizados como base de discussão para esclarecer as ruralidades nas pesquisas de todos os 5 grupos do Projeto Temático "Governança Ambiental da Macrometrópole Paulista face à variabilidade climática" (2015/03804-9), ao qual esta pesquisa está vinculada.