Busca avançada
Ano de início
Entree

Comparação de práticas na simulação para a aquisição de competências na assistência ao parto

Processo: 19/11551-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2019
Vigência (Término): 31 de outubro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Roseli Mieko Yamamoto Nomura
Beneficiário:Lívia Helena Gonçalves Mitsui
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Obstetrícia   Assistência médica   Parto obstétrico   Prática clínica   Ensino e aprendizagem   Treinamento por simulação

Resumo

O crescente interesse nas simulações em Medicina, particularmente em Obstetrícia é decorrente de mudanças contemporâneas na educação médica. Objetivos: Comparar duas práticas de simulação diferentes na assistência ao parto vaginal, sob o aspecto do grau de aprendizagem adquirido por alunos de graduação em medicina, a fim de verificar qual dos dois métodos permite melhor aquisição das competências esperadas. Métodos: Trata-se de pesquisa do tipo aplicada, a ser realizada no Centro de Ensino de Habilidades e Simulação Helena Nader - CEHS - da UNIFESP. O tamanho da amostra será de 50 participantes. O cenário estabelecido é o Centro de Parto Normal e os procedimentos serão simulados com o manequim do simulador Noelle S575. A cada estágio da Unidade curricular do 5º ano do curso médico, serão constituídos dois grupos compostos por 4 a 5 alunos que participarão de 2 sessões de simulação: uma de treinamento e outra para avaliação. Em ambos os grupos, antes da simulação haverá uma sessão de briefing, com vídeos sobre assistência ao parto e instruções para o cenário. O Grupo A observará uma simulação de assistência ao parto padrão e, em seguida, um aluno será sorteado para repetir o cenário; o Grupo B fará a simulação diretamente, em que um aluno será sorteado para simular a assistência ao parto e, em seguida, outro aluno será sorteado para repetir o cenário. Após cada simulação, haverá a sessão de debriefing que serão gravadas para avaliação posterior, utilizando um instrumento de pontuação. Para a avaliação das competências adquiridas o cenário será aplicado a 2 alunos uma semana após e será aplicado o instrumento. A avaliação final será a soma da pontuação obtida pelo aluno durante o debriefing do primeiro encontro com a pontuação da avaliação da simulação. As variáveis serão analisadas descritivamente quanto à caracterização dos participantes e os resultados dos instrumentos de avaliação, e, a além disso será feita análise quantitativa pela observação dos valores mínimos e máximos, do cálculo de medianas, médias e desvios-padrão.