Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação topográfica do canal mandibular e sua relação com o perfil facial, classe esquelética e sexo

Processo: 19/17615-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Radiologia Odontológica
Pesquisador responsável:Matheus Lima de Oliveira
Beneficiário:Gustavo Moraes Prado
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Anatomia dentária   Nervo mandibular   Canal mandibular   Tomografia computadorizada de feixe cônico   Análise de variância

Resumo

O objetivo neste estudo é avaliar a possível relação entre a topografia do canal mandibular e características do paciente como o perfil facial, classe esquelética e sexo. Imagens de tomografia computadorizada de feixe cônico de 180 pacientes de ambos os sexos serão classificados de acordo com o perfil facial (mesofacial, braquifacial e dolicofacial) e classe esquelética (Classe I, II e III). Em todas as imagens, os canais mandibulares direito e esquerdo serão avaliados quali- e quantitativamente. A análise qualitativa consistirá na classificação da curvatura do canal mandibular como linear, forma de colher, arco elíptico ou curva acentuada. Para a análise quantitativa, serão realizadas quatro medidas na região de primeiro e segundo molares inferiores: diâmetro do canal mandibular, espessura do osso vestibular e lingual, e distância do teto do canal mandibular ao ápice radicular. Após análise exploratória e descritiva dos dados, o teste de chi-quadrado será utilizado para avaliar a associação entre a classificação da curvatura do canal mandibular e os tipos faciais, classes esqueléticas e sexos. As medidas obtidas serão submetidas à análise de variância (ANOVA) multi-way e teste de Tukey para comparações entre os fatores estudados. O nível de significância será de 5% (±=0,05). Espera-se com esse estudo verificar se o perfil facial, classe esquelética e sexo exercem alguma influência na topografia do canal mandibular.