Busca avançada
Ano de início
Entree

Níveis salivares de hidroxicloroquina: relevância na atividade de doença do lúpus eritematoso sistêmico juvenil (LESJ) e na atividade da doença renal no lúpus eritematoso sistêmico em adultos

Processo: 19/21211-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Eloisa Silva Dutra de Oliveira Bonfá
Beneficiário:Júlia Celestino Seraphim
Instituição-sede: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/03756-4 - Avaliação da relevância dos níveis sanguíneos de drogas utilizadas em doenças autoimunes reumatológicas no acompanhamento da segurança, eficácia e aderência à terapêutica, AP.TEM
Assunto(s):Reumatologia   Lúpus eritematoso sistêmico   Cooperação e adesão ao tratamento   Monitoramento de medicamentos   Hidroxicloroquina   Saliva   Espectrometria de massas   Espectrometria de massas em Tandem

Resumo

Existe uma grande variabilidade na resposta de fármacos que pode ser atribuída, em parte, à falta de aderência do paciente ao tratamento. A baixa aderência é comum, e pode chegar a 30% das prescrições em geral e a 50% nas doenças crônicas. Vários questionários de auto-relatos são utilizados na avaliação da aderência, no entanto, o seu uso na prática clínica tem sido bastante limitado. A hidroxicloroquína (HCQ) possui um papel imunomodulador excepcional no lúpus eritematoso sistêmico (LES), e a subterapia ou sua retirada estão associadas a surtos da doença. No LES adulto foi relatado que as concentrações abaixo de 1000ng/ml de HCQ no sangue total estão associadas com a atividade da doença, além de ser um forte preditor de exacerbação nos seis meses subsequentes. A monitorização dos níveis de fármacos ou metabólitos nos fluidos biológicos é uma ferramenta útil na avaliação da aderência e na tomada de decisões clínicas. Na área da Reumatologia, existem poucos estudos de monitorização de níveis circulantes de fármacos, sendo ainda restritos à dosagem no sangue. Por outro lado, a saliva é uma matriz alternativa sugerida para individualização e otimização da terapia em doenças crônicas, pelo fato de ser não invasivo na obtenção, menos complexa em comparação às matrizes convencionais e por oferecer, em geral, uma boa correlação com a droga livre. No entanto, poucos estudos exploraram o potencial de se monitorar fármacos nessa matriz, em parte, devido à baixa sensibilidade dos métodos bioanalíticos quantitativos disponíveis. O recente desenvolvimento de espectrômetros de massas em tandem tem possibilitado a mensuração das concentrações muito baixas de fármacos em pequenos volumes de matrizes não convencionais. Até o momento, não há na literatura estudos de monitoramento de níveis de hydroxicloroquina na saliva em pacientes com LES. Portanto o presente projeto visa avaliar a relevância do monitoramento dos níveis salivar de hydroxichloroquina e os principais metabólitos no acompanhamento da eficácia, toxicidade e aderência à terapia no lúpus eritematoso sistêmico juvenil e na atividade renal do lúpus eritematoso sistêmico em adultos.