Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização termográfica por infravermelho e de resistência à biodeterioração de painéis particulados de madeira com inclusão de nanopartículas de ZnO

Processo: 19/16255-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2019
Vigência (Término): 31 de outubro de 2020
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Marília da Silva Bertolini
Beneficiário:Letícia Lima Viana
Instituição-sede: Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus Experimental de Itapeva. Itapeva , SP, Brasil
Assunto(s):Produtos derivados da madeira   Materiais compósitos   Nanopartículas metálicas   Transferência de calor   Óxido de zinco   Termografia

Resumo

A produção de painéis de partículas de madeira no Brasil é representativa e crescente, alcançando em 2017, um volume de 3,14 milhões de m³, o que coloca o país em 2º lugar dentre os países do continente americano, atrás apenas dos Estados Unidos (Food and Agriculture Organization of the United Nations -FAO, 2019). Estes painéis são compostos tradicionalmente de partículas de madeira e resina polimérica e consolidados por prensagem, utilizando temperatura e pressão. Questões ligadas ao impacto ambiental na fabricação destes painéis são de extrema relevância, em termos de suas matérias primas, além da economia de energia, determinada principalmente pelo tempo de prensagem. Outro ponto associado a produtos derivados da madeira é a sua durabilidade, relacionada à sua resistência ao ataque de agentes biodeterioradores. Diversos métodos já têm sido propostos na tentativa de diminuir o tempo de prensagem, como redução do tempo de fechamento da prensa, aquecimento por alta frequência, aumento da taxa de cura dos adesivos, entre outros. A possibilidade de inclusão de nanopartículas de óxido de zinco em compósitos à base de madeira pode apresentar potencial solução, devido à maior taxa de transferência de calor que podem proporcionar, relacionada ao metal. Além disso, alguns metais são tóxicos à cupins e fungos, atuando como preservantes da madeira, conforme já observado nos tradicionais produtos químicos utilizados na madeira, à base de metais. Neste contexto, este projeto tem como objetivo a inclusão de nanopartículas metálicas de óxido de zinco (ZnO) em painéis compósitos particulados de Pinus sp., avaliando suas características térmicas por termografia de infravermelho e sua resistência à biodeterioração, além de propriedades físico-mecânicas. Os resultados serão confrontados com trabalhos da literatura, bem como com normas da área (ABNT 14810-2, 2018; ANSI A208.1,2016).