Busca avançada
Ano de início
Entree

Corticoides na hepatite alcoólica grave em portadores de cirrose com contraindicações relativas ao uso de corticoide: estudo retrospectivo de pacientes internados em hospital de referência

Processo: 19/07869-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Fernando Gomes Romeiro
Beneficiário:Fábio Luís Argentieri Cunha
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Gastroenterologia   Cirrose hepática   Hepatite alcoólica   Lesão renal aguda   Corticosteroides   Pentoxifilina   Avaliação de resultados   Estudos retrospectivos

Resumo

A hepatite alcoólica (HA) é uma doença altamente prevalente em etilistas crônicos. A mortalidade por HA é elevada, variando de 30-50% durante os primeiros 28 dias de internação. Os sinais e sintomas são variados e pouco específicos, e muitos deles já são usualmente observados em pacientes cirróticos. Exames laboratoriais são essenciais para a classificação quanto à gravidade da HA, deixando a biópsia hepática restrita a casos em que houver dúvida diagnóstica. A classificação da HA é feita através de diversos índices que utilizam parâmetros clínicos e laboratoriais. Os mais utilizados são os de Maddrey DF e ABIC, porém nenhum deles especifica qual a melhor forma de tratamento para cada paciente, e essa é uma questão ainda controversa na literatura. A terapêutica para a HA consiste na abstinência alcoólica, na terapia nutricional adequada e na administração de medicamentos. As drogas mais utilizadas são os corticosteroides e a pentoxifilina, mas não há consenso sobre qual a melhor opção para cada caso. Complicações como hemorragia digestiva, infecções e lesão renal aguda são comuns em portadores de cirrose, muitas vezes fazendo com que os corticoides deixem de ser administrados. Nessas situações a pentoxifilina (ou apenas o tratamento de suporte) pode ser a única opção, porém até o momento não há uma resposta clara sobre a melhor terapêutica medicamentosa nesses casos. O objetivo deste estudo é comparar, de forma retrospectiva, resultados obtidos com o uso de corticoides e pentoxifilina (ou apenas o tratamento de suporte) em pacientes cirróticos que tenham tido insuficiência renal, hemorragia digestiva ou infecção, internados por HA em hospital de referência. Espera-se obter dados relevantes sobre a frequência de uso de corticoides, os motivos para suspensão dessas drogas na prática clínica, e os resultados obtidos com ou sem o uso de corticoides nos casos em que essas contraindicações estão presentes. Taxas de mortalidade, infecções secundárias e outros desfechos também serão avaliados. (AU)