Busca avançada
Ano de início
Entree

Hidroclimatologia em áreas dos biomas cerrado e Mata Atlântica

Processo: 19/21426-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 31 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Meteorologia
Convênio/Acordo: Belmont Forum
Pesquisador responsável:Humberto Ribeiro da Rocha
Beneficiário:Rodolfo Marcondes Silva Souza
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/50682-6 - Investimentos pró-climáticos inteligentes em bacias de montanhas tropicais da América do Sul (ClimateWise), AP.PFPMCG.TEM
Assunto(s):Interação biosfera-atmosfera   Hidroclimatologia   Hidrologia   Climatologia   Hidrometeorologia

Resumo

O pleno entendimento da contribuição da Biosfera ao regime climático e hidrológico e seu impacto social é uma prioridade global da World Meteorological Organization (WMO)/Urban Integrated Weather, Environment and Climate Services, com grande potencial de contribuir ao aperfeiçoamento dos sistemas regionais de segurança alimentar, hídrica e energética, ao correto enquadramento das funções e conservação da biodiversidade, e ao bem estar humano das populações rurais e adensamentos urbanos. Este plano fará a estimativa de padrões hidroclimatológicos de superfície em áreas selecionadas dos biomas Cerrado e Mata Atlântica, por meio da implementação e utilização de um modelo biofísico, com alta resolução espaço-temporal, a partir de informações de: medidas de campo em sítios experimentais do Laboratório de Clima e Biosfera do IAG/Usp e de inventários de pluviometria e fluviometria de órgãos oficiais, para calibração de fluxos; de índices espectrais de vegetação por satélite, para transição de escala de espaço (scalling-up); variáveis climáticas de alta resolução espacial obtidas de modelos estatísticos, para forçamento atmosférico; e desta forma prover produtos do balanço de energia (com ênfase na energia disponivel e evapotranspiração) e da disponibilidade hídrica (com ênfase na umidade do solo, vazão de água superficial e recarga de aquífero) em escala de microbacias e regional. (AU)