Busca avançada
Ano de início
Entree

Resíduos agroindustriais de frutos amazônicos: composição bioativa, bioacessibilidade e potencial de uso como prebiótico

Processo: 19/14358-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Pedro Esteves Duarte Augusto
Beneficiário:Anna Paula de Souza Silva
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Compostos fenólicos   Bioatividade   Sustentabilidade   Resíduos   Antioxidantes

Resumo

A geração global de resíduos resultantes das atividades agroindustriais é uma problemática de importância principalmente ambiental, cuja necessidade de resolução é urgente. Uma vez que estes materiais ainda são pouco valorizados, subexplorados ou simplesmente descartados, o volume de sua geração é maior do que sua utilização. Embora muitos sejam descartados no meio ambiente, podendo provocar a contaminação de recursos naturais e a poluição ambiental, ou destinados à alimentação animal, os resíduos agroindustriais provenientes do processamento de alimentos de origem vegetal podem constituir fontes alternativas de diversos compostos bioativos de caráter funcional e nutracêutico, com possíveis aplicações nas indústrias alimentícia, farmacêutica e cosmética. Duas importantes fontes de compostos bioativos, e ainda não exploradas, são os resíduos dos frutos brasileiros açaí (Euterpe oleracea Mart.) e inajá (Maximiliana maripa Aubl. Drude), cuja extração mecânica de óleo da polpa gera grandes volumes de resíduos (± 95% do peso inicial), denominados tortas. Portanto, almejando valorizar a sustentabilidade da cadeia agroindustrial do açaí e no processamento do inajá, que ainda se limita a escala regional e de subsistência, este trabalho tem como objetivo utilizar as tortas destes frutos visando: i) sustentabilidade, propondo assim alternativas mais nobres para o uso integral destas tortas, ii) pesquisa de aditivos antioxidantes naturais para aplicação industrial, iii) avaliar a bioacessibilidade dos principais compostos bioativos encontrados nestes materiais, que possam inclusive apresentar potencial de prevenção contra desordens metabólicas, e iv) avaliar o potencial prebiótico destas tortas para utilização como possíveis ingredientes e/ou suplemento alimentar.