Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação dos mecanismos de morte celular induzidos pela terapia fotodinâmica utilizando diferentes fotossensibilizadores

Processo: 19/14885-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2019
Vigência (Término): 31 de outubro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física
Pesquisador responsável:Cristina Kurachi
Beneficiário:Ivan Sosthene Mfouo Tynga
Instituição-sede: Instituto de Física de São Carlos (IFSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07276-1 - CEPOF - Centro de Pesquisa em Óptica e Fotônica, AP.CEPID
Assunto(s):Óptica   Morte celular   Fotoquimioterapia   Fármacos fotossensibilizantes

Resumo

Câncer é uma doença causada pela divisão incontrolada de células alteradas em um sítio específico do corpo. Diversos tipos de Câncer existem e o Câncer de Pele não melanoma é o tipo mais incidente no Brasil e no mundo. Dentre os tratamentos disponíveis, terapiafotodinâmica (TFD) é um tipo de processo químico induzido por luz que emprega um fotossensibilizador (FS), ativado quando irradiado por luz em um comprimento de onda específico, para induzir a morte celular. O objetivo deste estudo é investigar os mecanismos de morte celular induzido quando a TFD é realizada com diferentes fotossensibilizadores. Apesar da TFD já ser utilizada há décadas, os mecanismos de morte celular e a relação com a destruição tumoral final não são completamente elucidados, quando se comparam os processos com diferentes fotossensibilizadores. Experimentos in vitro com células de Câncer de Pele não melanoma e in vivo em modelo murino serão empregados para avaliar a morte induzida a nível celular e tumoral. Os fotossensibilizadores a serem investigados são: porpifirna, clorina e protoporfirina IX. A entrega nanoencapsulada de ácido aminolevulínico também será tópico de estudo. Os estudos celulares incluirão as análises de morfologia, crescimento, viabilidade, citotoxicidade, atividade protéica e mecanismos de morte celular, especialmente a autofagia. A caracterização da distribuição celular e os danos em membranas e organelas induzidos possibilitarão a análise do comportamento de morte celular. Finalmente, os estudos in vivo, possibilitarão o entendimento de como os mecanismos de morte celular dependem do tipo do fotossensibilizador e como estão relacionados com a resposta final da TFD na matrix extracelular e vascularização tumorais. Análises experimentais incluirão: citometria de fluxo, análise de homogenato, expressão protéica, microscopia confocal, microespectroscopia Raman, imagem de campo amplo e espectroscopia de fluorescência, e tomografia por coerência óptica. (AU)