Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da localização celular da ADAM10 em sua atividade

Processo: 19/19016-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 28 de novembro de 2019
Vigência (Término): 27 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem
Pesquisador responsável:Márcia Regina Cominetti
Beneficiário:Izabela Pereira Vatanabe
Supervisor no Exterior: Elena Marcello
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Local de pesquisa : Università degli Studi di Milano, Itália  
Vinculado à bolsa:16/06226-9 - ADAM10 como biomarcador de fragilidade cognitiva, BP.DR
Assunto(s):Geriatria   Doença de Alzheimer   Atividade enzimática

Resumo

A Doença de Alzheimer (DA) é o distúrbio neurodegenerativo que mais afeta a população idosa. As marcas neuropatológicas da DA incluem o aparecimento de placas amilóides e emaranhados neurofibrilares, contendo agregados de proteína tau hiperfosforilada e ²-amyloid (A²), respectivamente. Em nosso laboratório, vários estudos foram realizados na área de biomarcadores sanguíneos para DA, especialmente com foco na ADAM10 (A Disintegrin and Metallopeptidase), visto que esta apresenta um papel central no processamento de APP (Amyloid Precursor Protein), o que a torna um alvo interessante para terapias e estudos de biomarcadores para DA. O grupo LPN-UNIMI publicou resultados únicos e interessantes usando a técnica de co-localização da ADAM10 (via SAP97 e AP2) para demonstrar a biologia e importância desta molécula na patogênese da DA. Nossos resultados anteriores demonstraram que os níveis plasmáticos de ADAM10 (~50-55kDa) estão aumentados em idosos com TNCL (Transtorno Neurocognitivo Leve) e AD, enquanto que em plaquetas (60kDa) estes níveis estão diminuídos. Consequentemente, este estudo levantou uma hipótese adicional relacionada à presença de duas conformações de ADAM10, uma forma no plasma solúvel e inativa e a outra forma em plaqueta ativa e ligada à membrana plasmática. Assim, o objetivo deste estudo é avaliar se a atividade enzimática da ADAM10 é dependente de sua ancoragem à membrana plasmática. Para este fim, durante o estágio no exterior no laboratório LPN-UNIMI, pretende-se desenvolver e padronizar um protocolo de isolamento de membrana plasmática por fracionamento celular em células de neuroblastoma (SH-SY5Y) e em células primárias de hipocampo de camundongos. Espera-se que estes resultados ajudem a entender melhor a biologia desta molécula que atualmente representa um alvo muito interessante para o desenvolvimento de diagnósticos e terapias para DA.