Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção animal em pastagens tropicais intensificadas e suas consequências ambientais

Processo: 19/17218-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2019
Vigência (Término): 31 de outubro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Luiz Antonio Martinelli
Beneficiário:Adibe Luiz Abdalla Filho
Instituição-sede: Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/18790-3 - Consequências ambientais da conversão pastagem-cana-de-açúcar e intensificação de pastagens, AP.PFPMCG.TEM
Assunto(s):Ecologia de pastagens   Produção animal   Pecuária sustentável   Forragem   Gases do efeito estufa   Sustentabilidade

Resumo

A sustentabilidade da produção animal requer a intensificação das pastagens, porém para a tomada de decisão de quanto, quando e onde essa intensificação deve ocorrer, depende das informações quanto à caracterização da massa de forragem e seus efeitos nas variáveis relacionadas à produção sustentável da pecuária desenvolvida no Brasil. O objetivo deste projeto é comparar, em tempo real, os efeitos da intensificação de pastagens na produção e qualidade nutricional da forragem em condição de produção pecuária no Brasil, baseada na utilização de pastagens tropicais. Além disto, determinações no modelo RUMINANT serão empregadas para a comparação dos resultados de produção de produtos animais, intensidade de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) e demais informações relacionadas à sustentabilidade da produção animal. A hipótese é que o uso de técnicas de intensificação de pastagens resultará em uma maior produção e qualidade nutricional do pasto, permitindo a alocação de maior número de animais na área, aumentando a produção de produto animal por área e contribuindo para a sustentabilidade deste sistema, uma vez que a intensidade de emissão de GEE, em relação a quantidade de produto animal produzido, será menor em comparação aos obtidos em pastagens degradadas, aumentando a competitividade por área da atividade pecuária. Espera-se que os resultados deste estudo possam fornecer informações que contribuam para aplicação de práticas sustentáveis na produção animal à pasto, uma das principais atividades agropecuárias desenvolvidas no Brasil, bem como contribuam para as políticas públicas de redução das emissões de GEE no setor. (AU)