Busca avançada
Ano de início
Entree

Capacidade hipoglicêmica, anti-glicante e antioxidante de extratos fenólicos in vitro: uma relação com o perfil fenólico

Processo: 19/21020-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de novembro de 2019
Vigência (Término): 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Bioquímica da Nutrição
Pesquisador responsável:Gabriela Alves Macedo
Beneficiário:Pedro de Souza Freitas Campos
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/24868-3 - Capacidade hipoglicêmica, anti-glicante e antioxidante de extratos fenólicos in vitro: uma relação com o perfil fenólico, AP.R
Assunto(s):Nutrição humana   Bioquímica   Antioxidantes   Compostos fenólicos   Produtos finais de glicação avançada

Resumo

A reação de glicação ocorre entre os açúcares e aminoácidos em alimentos e no plasma humano. Quando ocorrem em alimentos processados, denominamos Reação de Maillard e estão associadas à formação de aromas, cor e sabores característicos de produtos como pães, bolos, carnes assadas etc. No corpo no entanto, estas reações geram uma gama de compostos denominados produtos de glicação avançada (AGEs) que alteram irreversivelmente a estrutura de macromoléculas, comprometendo a sua função biológica. Este processo, quando ocorre no corpo, causa estresse oxidativo, respostas inflamatórias promovendo o desenvolvimento de diversas doenças crônicas degenerativas. A formação de AGEs e acumulação é tóxica para as células e pode acelerar complicações diabéticas, incluindo retinopatia, neuropatia, cataratas e aterosclerose. Estudos atuais concentram-se no desenvolvimento de drogas terapêuticas para o controle da formação dos AGEs que é maior e mais deletério entre os diabéticos e idosos. Recentemente, os compostos fenólicos têm chamado a atenção quanto ao potencial de inibir a formação de produtos finais de glicação avançada apresentando resultados promissores. Diversas frutas, e vegetais, por serem ricos nestes compostos, podem ser considerados fontes naturais de agentes antiglicação, quer como ingredientes alimentares ou como preparações nutracêuticas. Neste sentido, o presente projeto visa investigar fontes vegetais ricas em compostos fenólicos bioativos que apresentem potencial atividade antiglicante, antioxidante e hipoglicêmica. Para atender estes objetivos, pretende-se estudar o processo de extração e biotransformação dos fenólicos a fim de formular e testar extratos que atuem contra a formação de produtos de glicação avançada. Pretende-se assim, estabelecer uma relação entre a composição e quantificação dos fenólicos e atividade biológica que permita a preparação de um extrato que possa ser incorporado à dieta. (AU)