Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação dos possíveis mecanismos de maturação de hepatócitos in vitro induzida por etoposídeo

Processo: 19/19380-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de novembro de 2019
Vigência (Término): 31 de outubro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Mayana Zatz
Beneficiário:Kayque Alves Telles Silva
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Engenharia tecidual   Hepatócitos   Maturação in vitro   Etoposídeo   Células-tronco pluripotentes induzidas   Citometria de fluxo   Imunofluorescência   Reação em cadeia da polimerase em tempo real   Análise de sequência de RNA

Resumo

O fígado é um órgão fundamental para a regulação metabólica, imune e homeostática do organismo. Hepatopatias crônicas e agudas, congênitas ou decorrentes de hábitos comportamentais, são responsáveis por aproximadamente 2 milhões de mortes por ano. A única opção terapêutica para a remediação de doenças hepáticas severas é a realização de transplantes parcial ou total do fígado. A engenharia tecidual hepática, aliada à tecnologia de células tronco pluripotentes induzidas (hiPSCs), constitui uma alternativa para os procedimentos terapêuticos tradicionais. Protocolos de diferenciação hepática, no entanto, resultam em hepatócitos com fenótipo fetal, dificultando a compreensão de mecanismos celulares de fígados adultos e abordagens de medicina regenerativa. Em experimentos prévios, a aplicação de etoposídeo (VP-16), composto sintético utilizado para indução de apoptose, em cultura celular de hepatócitos derivados de células hiPSCs contribuiu para a indução de maturação celular. O presente projeto tem como objetivo a investigação dos possíveis mecanismos envolvidos na maturação de hepatócitos diferenciados in vitro após tratamento com etoposídeo. hiPSCs já reprogramadas a partir de fibroblastos e eritroblastos de pacientes saudáveis serão diferenciadas em hepatocyte-like cells (HLCs). Para investigar essa hipótese, as HLCs serão tratadas com etoposídeo e o grau de maturação e os mecanismos envolvidos serão avaliados por citometria de fluxo, por imunofluorescência, por PCR em tempo real e por RNA-Seq. (AU)