Busca avançada
Ano de início
Entree

O dano muscular compromete a responsividade à potencialização pós-ativação?

Processo: 19/17596-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 09 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 03 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Leonardo Coelho Rabello de Lima
Beneficiário:Leonardo Coelho Rabello de Lima
Anfitrião: Ken Nosaka
Instituição-sede: Pró-Reitoria de Gradução. Centro Universitário Hermínio Ometto (UNIARARAS). Fundação Hermínio Ometto (FHO). Araras , SP, Brasil
Local de pesquisa : Edith Cowan University, Joondalup (ECU), Austrália  
Assunto(s):Fisiologia do exercício

Resumo

Músculos com maior distribuição de fibras do tipo II são mais responsivos à potencialização pós-ativação (PAP). Esses músculos também são mais suscetíveis ao dano muscular induzido pelo exercício (DMIE) pliométrico. Levando em consideração que tanto o DMIE quanto a PAP são mais frequentemente observados em fibras musculares do tipo II, o objetivo do estudo será investigar se o dano muscular induzido por contrações pliométricas compromete a responsividade à PAP em músculos dos membros inferiores. Quinze homens sem experiência recente com treinamento resistido e sem histórico recente de lesões nos membros inferiores participarão do estudo. Todos realizarão um protocolo de pré-ativação consistindo de uma série de cinco agachamentos com carga de cinco repetições máximas. Quinze minutos antes e quatro minutos após a pré-ativação, eles terão suas alturas de salto vertical com contra movimento medidas. Quinze minutos após o último salto com contra movimento, os participantes passarão por uma sessão de treinamento pliomético consistindo de cinco séries de seis saltos em profundidade com adição de carga equivalente a 20% de suas massas corporais. Os mesmos dados coletados antes da sessão de treinamento serão coletados 15 minutos, 24 e 48 horas após a mesma. O pico de torque dos extensores do joelho, dor muscular, espessura muscular do quadríceps e a eco-intensidade da imagem ultrasonográfica do quadríceps serão coletadas como marcadores de DMIE antes, 15 minutos após e 24 e 48 horas após a sessão de treinamento pliométrico. A responsividade à PAP e mudanças em marcadores indiretos de DMIE serão testadas por ANOVAs durante o período experimental com utilização do test post hoc de Tukey quando relevante. O nível de significância adotado será de p < 0,05. (AU)