Busca avançada
Ano de início
Entree

Interação hospedeiro-simbionte-inimigo natural: do parasitismo ao mutualismo

Processo: 19/03997-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2019
Vigência (Término): 30 de junho de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Teórica
Pesquisador responsável:Rodrigo Cogni
Beneficiário:Cássia de Souza Siqueira Cesar
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/25991-0 - Ecologia genômica de insetos: adaptações ao clima e evolução de interações ecológicas, AP.JP
Assunto(s):Ecologia evolutiva   Parasitismo   Simbiose   Bactérias   Interações hospedeiro-parasita

Resumo

O estudo da evolução das interações ecológicas é um tema central em ecologia evolutiva. Simbiose é a associação entre dois organismos de espécies diferentes, variando de uma interação parasítica à uma interação mutualística. O estudo proposto tem como objetivo compreender melhor o efeito mutualístico das bactérias endossimbiontes nas interações hospedeiro-simbionte-inimigo natural através de duas abordagens distintas. 1) sabe-se que, embora a interação simbiótica seja custosa, os benefícios oferecidos pelo simbionte podem superar este custo. Aqui propomos uma revisão metaanalítica acerca deste assunto a fim de verificar qual o custo na aptidão dos indivíduos envolvidos na interação e qual o tamanho do efeito da proteção ao se comparar os diferentes sistemas; 2) a presença de Wolbachia é capaz de influenciar a seleção sobre os genes de resposta antiviral codificados pelo hospedeiro. Contudo, não há informação de como os genes de resistência antiviral do hospedeiro podem influenciar a manutenção e dispersão do simbionte, sendo um dos objetivos deste projeto testar esta influência em populações experimentais. A comparação do efeito dos inimigos naturais na resistência oferecida por simbiontes em diferentes sistemas, bem como o estudo sobre o efeito do genótipo do hospedeiro e de pressões seletivas causadas pela presença de patógenos em aspectos ecológicos do simbionte são questões importantes para uma compreensão integrada de processos evolutivos envolvidos nas interações ecológicas interespecíficas. (AU)