Busca avançada
Ano de início
Entree

Inflamação e câncer: avaliação das vias CCL2 e TGF-beta na carcinogênese prostática em ratos velhos submetidos à restrição proteica materna e ao consumo de açúcar até a idade adulta

Processo: 19/10410-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2019
Vigência (Término): 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Luis Antonio Justulin Junior
Beneficiário:Matheus Naia Fioretto
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Nutrição da mãe   Dieta com restrição de proteínas   Reprodução humana   Açúcares da dieta   Doenças metabólicas   Envelhecimento   Inflamação   Transformação celular neoplásica

Resumo

Estudos epidemiológicos e experimentais demonstram maior índice de obesidade, diabetes e doenças cardiovasculares na população adulta de indivíduos cujas mães passaram por condições inadequadas na gestação, como restrição proteica materna (RPM). Recentemente, estudos experimentais demonstraram que o sistema reprodutor e a capacidade reprodutiva também são afetados pela RPM na prole de ratos, machos e fêmeas. Articulado a isto, o aumento crescente no consumo mundial de "açúcar de adição" tem sido associado à epidemia global de casos de doenças metabólicas. Portanto, este projeto tem por objetivo investigar o papel das vias de inflamação em ratos submetidos à restrição proteica materna (RPM), ao envelhecimento, que em conjunto, foram expostos ao consumo pós-natal de açúcar. Dados do nosso grupo já demonstraram os efeitos da Programação Fetal por RPM sobre o desenvolvimento e maturação prostática na prole, portanto serão avaliados os impactos do consumo de açúcar associado a este insulto sobre o envelhecimento e inflamação intra-prostática e sistêmica nestes animais. Será utilizada a prole masculina de ratos Sprague Dawley submetidos ou não à RPM. A prole foi dividida em quatro grupos experimentais: Controle (CTR): Ratos nascidos de mães que consumiram ração normal (17% proteína) e água ad libitum durante a gestação e lactação; Controle+açúcar (CTR+AÇU): O mesmo tratamento do CTR e que consumirão solução de açúcar (10% diluído em água) a partir do dia pós-natal 21 (DPN21-desmame) até o DPN 90; Restrição proteica materna (RPM): Ratos nascidos de mães que consumiram ração hipoproteica (6% de proteína) durante a gestação e lactação e que posteriormente consumiram ração normal (17% proteína) e água ad libitum até o DPN 90; Grupo RPM+AÇU: Ratos nascidos de mães alimentadas com ração hipoproteica durante a gestação e lactação e que consumiram solução de açúcar (10% diluído em água) a partir do DPN 21 até o DPN 90 e, conseguinte, ração normal e água ad libitum. Após este período, todos os ratos consumiram água e ração normal ad libitum até o DPN 540, no qual foram anestesiados, pesados e eutanasiados. O sangue coletado será utilizado para análises sistêmicas, e a próstata ventral para análises morfológicas, imuno-histoquímicas e moleculares, com enfoque nas vias de inflamação. Estes resultados trarão importantes contribuições para o entendimento dos efeitos da RPM associada ao consumo pós-natal de açúcar sobre o desenvolvimento de desordens prostáticas, com ênfase à inflamação. Este projeto se enquadra na linha de pesquisa do responsável, sobre o envelhecimento e o papel da inflamação no desenvolvimento de lesões prostáticas. (AU)