Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da transferência trófica do biocida anti-incrustante DCOIT, livre e encapsulado em nanocápsulas de sílica em organismos marinhos

Processo: 19/19898-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 30 de dezembro de 2019
Vigência (Término): 29 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Biológica
Pesquisador responsável:Denis Moledo de Souza Abessa
Beneficiário:Bruno Galvão de Campos
Supervisor no Exterior: Roberto Carlos Domingues Martins
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB-CLP). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus Experimental do Litoral Paulista. São Vicente , SP, Brasil
Local de pesquisa : Universidade de Aveiro (UA), Portugal  
Vinculado à bolsa:17/10211-0 - Estudo ecotoxicológico do biocida anti-incrustante Sea-Nine em invertebrados marinhos neotropicais, BP.DR
Assunto(s):Bioacumulação   Nanopartículas   Ecotoxicologia

Resumo

A partir de uma abordagem inovadora, usando nanotecnologia, o biocida antiincrustante DCOIT foi encapsulado em nanopartículas de sílica (SiNC), visando reduzir seus impactos ambientais e melhorar sua eficácia. Porém, são necessários estudos sobre a sua bioacumulação, potencial de transferência trófica e toxicidade. Este estudo tem como objetivo testar a capacidade de bioacumulação e de transferência trófica tanto do biocida DCOIT livre quanto de sua forma encapsulada (SiNC-DCOIT) através da alimentação de bivalves com algas contaminadas com o biocida. Para isso, primeiramente, será verificado se as microalgas e bivalves têm a capacidade de internalizar SiNC e bioacumular DCOIT. Para tal experimento, algas e bivalves serão expostos (separadamente) a uma concentração subletal de DCOIT e SiNC (marcada com um cromóforo); então, através de microscopia de fluorescência será verificada a internalização da SiNC. Para confirmação da bioacumulação serão desenvolvidos e aperfeiçoados métodos de extração e quantificação de DCOIT em matrizes biológicas (algas e bivalves) e em água. Uma vez tendo a confirmação da bioacumulação e protocolos de quantificação já desenvolvidos será montando um segundo experimento que tem como objetivo verificar a transferência trófica do DCOIT e SiNC-DCOIT em bivalves. Para esse experimento bivalves da espécie Mytilus galloprovincialis serão alimentados com microalgas da espécie Tetraselmis chuii contaminadas durante 72 h. O experimento terá 4 tratamentos, microalgas contaminadas com DCOIT ou SiNC-DCOIT ou SiNC e microalgas não contaminadas. Após o período de alimentação e exposição serão quantificadas as concentrações de DCOIT e SiNC-DCOIT nos organismos e na água, para, determinar se há transferência trófica.