Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel das cininas nos efeitos anti-inflamatórios do treinamento aeróbio em modelo experimental de Asma

Processo: 19/05739-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2019
Vigência (Término): 31 de outubro de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Rodolfo de Paula Vieira
Beneficiário:Maysa Alves Rodrigues Brandão Rangel
Instituição-sede: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Assunto(s):Pneumologia   Asma   Pneumonia   Cininas   Anti-inflamatórios   Treinamento aeróbio   Dermatophagoides pteronyssinus   Modelos animais

Resumo

A Asma é uma doença inflamatória crônica das vias aéreas, que resulta em piora da qualidade de vida. Essa piora tem correlação com a inflamação, com a limitação do fluxo aéreo e também com a hiperresponsividade brônquica. O conhecimento sobre os mecanismos celulares moleculares envolvidos na hiperresponsividade brônquica é limitado. Entretanto, já foi demonstrado, um importante papel das cininas na hiperresponsividade brônquica de asmáticos e também me modelos experimentais de Asma. Além disso, as cininas também modulam o desenvolvimento de outros efeitos típicos do fenótipo asmático, os quais incluem: broncoconstrição, aumento da permeabilidade vascular, aumento da secreção de muco pelo epitélio brônquico, estimulação colinérgica e estímulo nervoso sensorial. Nesse sentido, antagonistas dos receptores de cininas, peptídicos e não peptídicos, demonstraram potenciais efeitos benéficos para inibição do fenótipo asmático. Por outro lado, diversos estudos têm demonstrado que o Treinamento Físico Aeróbio (TFA) realizado de maneira adequada, apresenta efeitos inibitórios sobre o fenótipo asmático, incluindo redução da inflamação pulmonar alérgica crônica, da hiperresponsividade, da hipersecreção de muco e da exacerbação da resposta imune Th2. Entretanto, até o momento, somente alguns poucos possíveis mecanismos celulares e moleculares envolvidos nesses efeitos do TFA na asma foram estudados. Assim, o presente projeto tem por objetivo avaliar se os efeitos benéficos do TFA (redução da inflamação pulmonar, produção de muco, remodelamento brônquico, melhora da mecânica pulmonar e da hiperresponsividade brônquica) em um modelo experimental de Asma (usando ácaro da poeira doméstica - House Dust Mite - HDM, Dermatophagoides pteronyssinus) é mediado via cininas e seus respectivos receptores peptídeos e não peptídeos. Para isso, serão utilizados 80 camundongos C57Bl/6, machos, com 6-8 semanas de idade, divididos em 4 grupos experimentais (n = 20), Controle (Co), Exercício (Ex), Asma (As) e Asma + Exercício (As + Ex). Os animais receberão o HDM (100ug/camundongo), 3x por semana, durante 6 semanas. O TFA será realizado em esteira ergométrica, em intensidade moderada, 5x/semana, 1h/sessão, durante 4 semanas, tendo início na terceira semana do protocolo experimental. Dessa forma, serão avaliados os efeitos terapêuticos do TFA no modelo experimental de Asma, uma vez que o treinamento terá início após o estabelecimento do fenótipo asmático (após a segunda semana de administração de HDM). (AU)