Busca avançada
Ano de início
Entree

Alterações cardíacas induzidas pela lesão renal isquêmica utilizando modelos experimentais in vitro: participação do óxido nítrico

Processo: 19/13145-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2019
Vigência (Término): 31 de outubro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Marcela Sorelli Carneiro Ramos
Beneficiário:Juliana Almeida Tamashiro
Instituição-sede: Centro de Ciências Naturais e Humanas (CCNH). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Assunto(s):Sistema cardiovascular   Doenças cardiovasculares   Isquemia   Lesão renal aguda   Anóxia   Estresse oxidativo   Inflamação   Óxido nítrico   Técnicas in vitro

Resumo

As doenças cardiovasculares (DCV) são a causa de grande parte dos óbitos, devido não só a fatores genéticos, mas sobretudo, ambientais, devido ao estilo de vida moderno. No entanto, podem ser secundárias a outras doenças, como é o caso das síndromes cardiorenais (SCRs). As síndromes cardiorrenais são doenças que evidenciam a intensa conexão entre o funcionamento dos rins e do coração e se subdividem em cinco categorias. A Síndrome Cardiorenal do tipo 3 (SCR 3) é caracterizada pela lesão renal que desencadeia dano no tecido cardíaco. Uma das lesões que pode gerar esse tipo de doença é a lesão renal aguda, como o caso da lesão por isquemia e reperfusão, muito comum em choques hemorrágicos e transplantes de rim. Embora muitos fatores componham a fisiopatologia dessa síndrome, nosso laboratório já identificou a grande relevância do sistema imunológico e do estresse oxidativo nas alterações cardíacas induzidas pela lesão renal isquêmica. Nesse sentido, o sistema imunológico, por meio das citocinas pró-inflamatórias IL-6 e IL-1², promove alterações estruturais cardíacas como a hipertrofia cardíaca, além de alterações elétricas induzidas pela lesão renal isquêmica. Considerando que : I) os mecanismos celulares e moleculares envolvidos no desenvolvimento da SCR 3 ainda não são completamente conhecidos e II) o estresse oxidativo, gerado pelo desbalanço entre os componentes oxidantes e antioxidantes gerados na lesão por isquemia, é um componente importante na modulação das funções renais e cardíacas; o presente estudo tem como objetivo avaliar o papel do estresse oxidativo na alterações cardíacas induzidas pela isquemia renal. Para tanto, utilizaremos modelos de cultura de células renais que serão submetidas à hipóxia e, subsequentemente, realizaremos o tratamento de cardiomiócitos submetidos ao meio de cultura condicionado pelas células renais previamente submetidas à hipóxia. Serão avaliados os parâmetros moleculares relacionados ao trofismo cardíaco, bem como parâmetros relacionados ao status inflamatório e do balanço redox. A proposta dos experimentos in vitro são a de caracterizar os mecanismos celulares envolvidos no desenvolvimento da SCR 3, previamente estabelecidos em estudos do nosso laboratório, utilizando modelos in vivo.