Busca avançada
Ano de início
Entree

O arroz colonial no reformismo ilustrado português (1750 - 1808)

Processo: 19/12541-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2019
Vigência (Término): 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Rafael de Bivar Marquese
Beneficiário:Alberto Camargo Portella
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Arroz   América Portuguesa   Portugal   Escravidão

Resumo

A presente proposta de pesquisa tem como objeto os discursos econômicos do reformismo ilustrado português, surgidos no final do século XVIII e início do XIX, voltados à diversificação agrícola na América portuguesa. Com base nisso, o objetivo será analisar esses escritos e seus condicionantes, conferindo especial atenção ao lugar neles ocupado pela rizicultura. Memórias patrocinadas ou não por instituições científicas portuguesas, escritos dos estadistas responsáveis pela administração imperial e, enfim, as missivas trocadas entre as autoridades postadas em Portugal e na América portuguesa serão as fontes que permitirão entrever as mudanças no discurso econômico metropolitano, bem como as efetivas mudanças ocorridas na agricultura americana. Enfim, as discussões relativas ao cereal deverão ser examinadas à luz do mercado mundial dessa commodity, isto é, investigando-se as articulações específicas da produção, do comércio e do consumo globais do artigo. Portugal, inicialmente um importador do arroz produzido em regiões como a Carolina do Sul ou Península Itálica, desenvolveu sua produção no final do século XVIII, envolvendo nesse processo a emulação de técnicas e a busca de melhorias. Tais medidas foram evidenciadas, por exemplo, nas obras agronômicas escritas no período. (AU)