Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo estrutural e funcional de variantes da hemoglobina humana

Processo: 19/20844-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Maria de Fatima Sonati
Beneficiário:Rodrigo Marchi Silva
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/00984-3 - Doenças dos glóbulos vermelhos: fisiopatologia e novas abordagens terapêuticas, AP.TEM
Assunto(s):Hematologia   Hemoglobinas   Propriedades funcionais

Resumo

O projeto "Estudo Estrutural e Funcional de Variantes da Hemoglobina Humana" representa a continuidade do trabalho desenvolvido ao longo de vários anos no Laboratório de Hemoglobinopatias do Departamento de Patologia Clínica da FCM/Unicamp. Através de técnicas computacionais e experimentais, tal estudo objetiva compreender alterações no alosterismo proteico que modificam propriedades funcionais e alteram a estabilidade de variantes novas ou raras da hemoglobina humana, particularmente aquelas que resultam em quadros clínicos relevantes aos seus portadores. Além de melhor caracterizar essas variantes, espera-se que as análises contribuam para um maior conhecimento de aspectos de dinâmica estrutural da Hb nativa por meio da perda, substituição ou inserção de resíduos que promovam diferentes respostas biofísicas. Novas perspectivas terapêuticas para reestabelecimento funcional e estabilidade estrutural da hemoglobina poderão ser beneficiadas pelas informações assim geradas, que serão obtidas através de importantes colaborações já estabelecidas no projeto anterior, como a que mantemos com o Laboratório de Dinâmica Molecular do Instituto de Química da Unicamp, sob coordenação do Prof. Dr. Munir Skaf, e com o Laboratório de Modelado Molecular da Universidad de Buenos Aires, referência no estudo teórico de hemeproteínas e sob coordenação dos Profs. Darío Estrin e Marcelo Martí, bem como utilizando a estrutura multi usuária do Laboratório Nacional de Biociências (LNBio) e o Prof. Dr. Paulo Rosa, docente do Curso de Farmácia da Unicamp e especialista em Espectroscopia de Massa. (AU)