Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação dos determinantes da recuperação florestal por meio de uma análise multiescala

Processo: 19/21920-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de novembro de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2023
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal - Conservação da Natureza
Convênio/Acordo: Organização Holandesa para a Pesquisa Científica (NWO)
Pesquisador responsável:Pedro Henrique Santin Brancalion
Beneficiário:Laura Helena Porcari Simões
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/18416-2 - Compreendendo florestas restauradas para o benefício das pessoas e da natureza - NewFor, AP.TEM
Assunto(s):Restauração florestal   Mata Atlântica   Brasil

Resumo

De modo geral, a recuperação de florestas é esperada em áreas degradadas como uma mudança em direção a um sistema que é estruturalmente, composicionalmente e funcionalmente similiar a florestas antigas. No entanto, esse processo é notavelmente variável, refletindo fatores bióticos e abióticos que atuam em diferentes escalas espaciais. Um entendimento mais amplo do papel dos determinantes de recuperação ao longo das escalas espaciais é crucial para desenvolver estratégias de restauração porque permite a predição de resultados de intervenções de manejo em ambientes variados. Aqui, nós propomos comparar a recuperação da Mata Atlântica Brasileira em condições variadas. Nós hipotetizamos que as adversidades em escala local para a recuperação florestal interagem com a estrutura da paisagem e características regionais. Portanto, o efeito dos determinantes de escala local pode ser predito adequadamente e/ou controlado se os entornos e aspectos regionais forem considerados. Nós propomos investigar estas relações no contexto da Mata Atlântica analisando o desenvolvimento da recuperação florestal em 120 parcelas de vegetação que serão alocadas em 20 locais em processo de recuperação florestal e englobando quatro regiões da Mata Atlântica. As condições do solo, contexto de paisagem e características geográficas serão descritas para cada parcela para investigar determinantes da restauração que influenciam a variação da recuperação florestais entre as ecorregiões, entre os locais da mesma ecorregião, assim como dentro de cada local. Nós esperamos que nossos resultados auxiliem estratégias para restauração de florestas tropicais ao melhorar o prognóstico das trajetórias de recuperação nos domínios da Mata Atlântica Brasileira. (AU)