Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação de alphaviroses em insetos hematófagos

Processo: 19/11384-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Pesquisador responsável:Marcia Aparecida Speranca
Beneficiário:Luana Prado Rolim de Oliveira
Instituição-sede: Centro de Ciências Naturais e Humanas (CCNH). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Assunto(s):Alphavirus   Biologia molecular   Doenças transmissíveis   Arbovirus   Vetores de doenças   Infecções por Arbovirus

Resumo

Arboviroses são infecções virais transmitidas por artrópodes (mosquitos), causadas por vírus de diversos gêneros, entre eles o Alphavirus, pertencente à família Togaviridae. Dentre as espécies de alphavirus que acometem os países do continente americano e que possuem importância médica, estão: o vírus da Febre do Mayaro, o vírus da Febre Chikungunya e o vírus da Encefalite Equina. A biologia molecular é utilizada amplamente como método de isolamento viral em vetores e dentre a diversidade de técnicas disponíveis para a identificação de arbovírus, a reação de transcriptase reversa seguida da reação em cadeia da polimerase (RT/PCR) é uma das mais utilizadas. O método de extração de RNA viral em vetores mais utilizado atualmente envolve a maceração do inseto, danificando a morfologia e impossibilitando a identificação morfológica do vetor. Buscando integrar estudos moleculares e morfológicos, o método enzimático de extração de material genético em artrópodes, desenvolvido pelo nosso grupo de pesquisa, possibilita a identificação de material genético de agente patológicos e de vertebrados presentes no inseto, além de viabilizar a identificação morfológica e molecular do inseto estudado. Este projeto tem como objetivo a detecção de alphavirus presente no Novo Mundo em insetos dípteros coletados em parques públicos da região do ABC paulista (Santo André e São Bernardo do Campo) e do município de Marília. A metodologia aplicada envolverá a realização da coleta e identificação dos insetos presentes nas regiões incluídas no estudo, a extração de RNA dos insetos através do método enzimático com proteinase K seguido do diagnóstico de alphavirus por RT/PCR, a identificação da origem do sangue presentes nos insetos hematófagos ingurgitados por PCR e a identificação taxonômica de insetos positivos para alphavirus. A detecção por PCR será realizada utilizando oligonucleotídeos descritos na literatura para Chikungunya, Mayaro e animais vertebrados, incluindo humanos. (AU)