Busca avançada
Ano de início
Entree

Borboletas da Mata Atlântica: uma perspectiva histórica sobre padrões biogeográficos

Processo: 18/19171-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia
Pesquisador responsável:André Victor Lucci Freitas
Beneficiário:Patrícia Eyng Gueratto
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Biogeografia   Borboletas   Diversidade   Mata Atlântica

Resumo

A Biogeografia e a Macroecologia são ciências que buscam compreender a distribuição espacial da biodiversidade, investigando os padrões observados e os processos que os resultaram. Como tais processos são resultado de diversos fatores, é sugerida uma abordagem integrativa para melhor compreendê-los. A Mata Atlântica é um bioma prioritário do ponto de vista conservacionista, por abrigar uma rica biodiversidade e ter elevados níveis de devastação por ação antrópica, sendo, assim, um dos hotspots mundiais. A distribuição da diversidade no bioma é complexa, sendo resultante tanto da heterogeneidade das condições bioclimáticas, quanto de processos de diversificação de espécies, influenciados por alterações geomorfológicas e climáticas ao longo do tempo. Integrando as diferentes faces da Biogeografia e da Macroecologia, este trabalho visa investigar como as condições climáticas históricas e contemporâneas e os processos biogeográficos moldam os padrões de diversidade na Mata Atlântica, e como esses padrões foram modificados com as alterações antrópicas na paisagem. Para isso, serão utilizadas ferramentas da modelagem de nicho e da biogeografia de processos, tendo como modelo de estudo borboletas do grupo Actinote, as quais são amplamente distribuídas na América do Sul e Central e apresentam maior diversificação nas áreas montanhosas da Mata Atlântica. Algumas das hipóteses que serão testadas se relacionam com o efeito dos ciclos de aquecimento e resfriamento do Pleistoceno na diversificação do grupo, e as consequências da fragmentação e perda de habitat na perda de diversidade do grupo. Como resultado, esse projeto tem o intuito de gerar informações que auxiliem tanto no entendimento dos processos e fatores que levam a atual distribuição da diversidade no bioma quanto no planejamento de estratégias para conservação. (AU)