Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do papel da STI1 e potenciais fatores associados à rede de proteostase na regulação da pluripotência

Processo: 19/14741-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Pesquisador responsável:Marilene Hohmuth Lopes
Beneficiário:Camila Felix de Lima Fernandes
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Células-tronco pluripotentes   Proteostase   Pluripotência   Proteínas de choque térmico

Resumo

Stress Inducible Protein 1 (STI1) é uma proteína evolutivamente conservada, formada por três domínios tetratricopeptídeos repetitivos e dois domínios dipeptídeos ricos em resíduos de aspartato e prolina. A estrutura da STI1 está intimamente associada à sua multifuncionalidade nas células, sendo encontrada no citoplasma, núcleo e ambiente extracelular. Uma das principais funções da STI1 é sua atuação como co-chaperona, permitindo a formação de um complexo proteico entre as proteínas de choque-térmico HSP70-HSP90, auxiliando no dobramento e processamento de diversas proteínas clientes dessa maquinaria. O complexo formado pela STI1 é essencial para a manutenção da homeostase proteica (proteostase). Depleção total de STI1 em camundongos leva a inviabilidade dos embriões, mas apesar do fenótipo elucidado, os mecanismos moleculares exatos que levam a degeneração precoce desses animais não são totalmente conhecidos. Células-Tronco Embrionárias murinas (CTEm) representam um dos mais eficientes modelos in vitro para mimetizar o desenvolvimento embrionário inicial de mamíferos. CTE classificam-se como Células-Tronco Pluripotentes (CTPs), pois possuem a capacidade de se diferenciar em qualquer fenótipo somático adulto sob estímulos adequados, e podem se autorrenovar indefinidamente sem senescência celular. CTPs possuem mecanimos de controle de proteoma avançados, entre eles o aumento na síntese de chaperonas e co-chaperonas, como a STI1. Muitos fatores cruciais da biologia das CTPs ainda permanecem desconhecidos, e, portanto, compreender as bases moleculares associadas a manutenção da pluripotência é de fundamental importância, tanto para a utilização dessas células em pesquisas de doenças degenerativas e do envelhecimento, quanto a liberação de seu potencial terapêutico. Nesse sentido, o presente projeto se propõe a lançar luz sobre aspectos associados ao controle de CTPs e seu potencial de diferenciação, proliferação e autorrenovação através dos mecanismos de proteostase. Ainda, buscamos encontrar novas vias moleculares, possivelmente moduladas pela STI1, associadas ao controle da pluripotência e desenvolvimento inicial de mamíferos. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
COELHO, BARBARA PARANHOS; DE LIMA FERNANDES, CAMILA FELIX; BOCCACINO, JACQUELINE MARCIA; DA SILVA SOUZA, MARIA CLARA; MELO-ESCOBAR, MARIA ISABEL; ALVES, RODRIGO NUNES; PRADO, MARIANA BRANDAO; IGLESIA, REBECA PIATNICZKA; CANGIANO, GIOVANNI; MAZZARO, GIULIA LA ROCCA; LOPES, MARILENE HOHMUTH. Multifaceted WNT Signaling at the Crossroads Between Epithelial-Mesenchymal Transition and Autophagy in Glioblastoma. FRONTIERS IN ONCOLOGY, v. 10, NOV 12 2020. Citações Web of Science: 0.
ALVES, RODRIGO NUNES; IGLESIA, REBECA PIATNICZKA; PRADO, MARIANA BRANDAO; MELO ESCOBAR, MARIA ISABEL; BOCCACINO, JACQUELINE MARCIA; FERNANDES, CAMILA FELIX DE LIMA; COELHO, BARBARA PARANHOS; FORTES, AILINE CIBELE; LOPES, MARILENE HOHMUTH. A New Take on Prion Protein Dynamics in Cellular Trafficking. INTERNATIONAL JOURNAL OF MOLECULAR SCIENCES, v. 21, n. 20 OCT 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.