Busca avançada
Ano de início
Entree

Diagnóstico da modernidade e Teoria Crítica como montagem em Walter Benjamin

Processo: 19/01889-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2019
Vigência (Término): 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia
Pesquisador responsável:Luiz Sérgio Repa
Beneficiário:Lucas Melo Souza
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/11611-3 - Esfera pública e reconstrução: sobre a constituição de um paradigma reconstrutivo no campo da Teoria Crítica, AP.TEM
Assunto(s):Teoria crítica   Montagem   Modernidade   Walter Benjamin

Resumo

O presente projeto visa elucidar a inserção de Walter Benjamin na tradição da Teoria Crítica e suas grandes linhas de pensamento, tendo por eixo a obra "Charles Baudelaire: um poeta na época do capitalismo avançado" e os conceitos que nela ganham protagonismo: modernidade, montagem e alegoria. Através do conceito de modernidade, o autor buscou apreender o arco histórico de meados do século XIX ao começo do século XX, conformando um diagnóstico social e estético. Ao mesmo tempo, seu conceito de modernidade dimensiona os potenciais emancipatórios da época, assim como seus bloqueios e impasses. Em sua exposição da modernidade e da imagem de Baudelaire, o autor lança mão da montagem como expediente metodológico e crítico. No livro sobre o poeta francês, esse procedimento é explicitado pelo emprego, raro em sua obra, da expressão "Kritischen Theorie". No plano da poesia de Baudelaire, a noção de montagem reaparece através do conceito de alegoria, utilizado por Benjamin na interpretação do poeta. Assim, arma-se uma constelação em que o diagnóstico da modernidade depende do procedimento crítico-metodológico da montagem para sua exposição ao mesmo tempo em que a teoria crítica praticada pelo filósofo encontra nesse diagnóstico a sua ancoragem. (AU)