Busca avançada
Ano de início
Entree

O estresse causado pela temperatura pode alterar o patossistema ferrugem da videira? Análises epidemiológicas, fisiológicas e histopatológicas em Vitis labrusca 'Niagara Rosada' e V. vinifera 'Cabernet'

Processo: 19/15191-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2019
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Botânica Aplicada
Pesquisador responsável:Beatriz Appezzato da Glória
Beneficiário:Júlia Boscariol Rasera
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/24003-9 - Epidemiologia, avaliação de danos e controle de doenças da videira, AP.TEM
Assunto(s):Anatomia vegetal   Ferrugem (doença de planta)   Mudança climática   Vitis labrusca   Vitis vinifera   Phakopsora euvitis   Interação planta-patógeno

Resumo

Muito se fala hoje sobre o aquecimento global, e o último relatório de avaliação do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas trouxe evidências numéricas da ocorrência de alterações em nossa atmosfera. A elevação da temperatura afeta diretamente a agricultura, a nível global, ao passo que influencia o ambiente em que as interações das plantas com herbívoros e patógenos acontecem. Exemplo disso são as doenças de plantas que têm se tornado importantes em locais nos quais não eram relevantes, ou que têm potencial para isso, caso as mudanças climáticas se intensifiquem. Nesse contexto, o grupo das ferrugens têm apresentado crescente potencial e relevância, como a ferrugem da soja nos Estados Unidos e a ferrugem do trigo na Europa. Experimentos com Phakopsora euvitis em videira americana (Vitis labrusca L.) 'Niagara Rosada', conduzidos pela nossa equipe, têm levantado novos questionamentos em torno dessa interação planta-patógeno. Em temperatura de 20 a 25 °C há alta taxa de germinação de urediniósporos e alta severidade e, em temperatura de 30 °C, mesmo com a baixa germinação de urediniósporos, há alta severidade, ainda com a presença de necrose. Fato intrigante, não só pela ausência da relação entre a taxa de germinação de esporos e a eficiência da doença, mas também pelo aparecimento de necrose, resposta de hipersensibilidade, a qual comumente está associada à baixa severidade. Assim, a proposta tem como objetivo, por meio de análises epidemiológicas, histopatológicas e fisiológicas, identificar as alterações provocadas pela temperatura na relação planta-patógeno entre Phakopsora euvitis e duas espécies de videira, V. labrusca 'Niagara Rosada' e V. vinifera 'Cabernet'. (AU)